O que é open source?

Por Redação

Open source é um termo em inglês que significa código aberto. Isso diz respeito ao código-fonte de um software, que pode ser adaptado para diferentes fins. O termo foi criado pela OSI (Open Source Initiative) que o utiliza sob um ponto de vista essencialmente técnico.

Por não possuir um custo de licença, um software open source oferece a oportunidade de um maior investimento em serviços e formação, garantindo um retorno dos investimentos em TI maior e melhor. Na grande maioria dos casos, essas ferramentas são compartilhadas online pelos desenvolvedores, podendo ter acesso a elas qualquer pessoa, sem restrições.

O termo open source, bem como o seu ideal, foi desenvolvido por Eric Raymond e outros fundadores da OSI com a finalidade de apresentar o software livre a empresas de uma maneira mais comercial, evitando um discurso ético e de direitos.

A nomenclatura "Open Source" apareceu durante uma reunião ocorrida em fevereiro de 1998, em um debate que envolveu personalidades que posteriormente se tornariam referência sobre o assunto. Todd Anderson, Chris Peterson, Larry Augustin, Jon "Maddog", Sam Ockman e Eric Raymond, são alguns exemplos.

A sigla FLOSS, que em inglês significa Free/Libre and Open Source Software, é uma forma agregadora de utilizar os conceitos de Software Livre e Código Aberto a favor dos mesmos softwares, visto que ambos diferenciam-se apenas na argumentação, como já mencionado.

Os desenvolvedores e defensores do conceito Open Source afirmam que isso não se trata de um movimento anticapitalista, mas sim de uma alternativa para o mercado de indústria de software. Esse modelo colaborativo presente no open source levou o direito do autor a ser olhado por um outro prisma.

A criação da Open Source Development Lab (OSDL) é um exemplo dos grandes esforços realizados por várias empresas como IBM, Dell, Intel e HP para trabalhar com a criação de tecnologias de código aberto.

A OSI impõe 10 pontos importantes para que um software possa ser considerado Open Source:

1 - Distribuição livre

A licença do programa não deve de nenhuma forma restringir o acesso gratuito por meio de venda ou mesmo de permutas.

2 - Código fonte

De fundamental importância, o software deve conter um código fonte que deve permitir a distribuição também na forma compilada. Caso o programa não seja distribuído com seu código fonte, o desenvolvedor deve fornecer um meio para se obter o mesmo. O código fonte deve ser legível e inteligível para qualquer programador.

3 - Trabalhos derivados

A licença do software deve fornecer permissão para que modificações sejam realizadas, bem como trabalhos derivados. Também deve permitir que sejam distribuídos, mesmo após modificação, sobre os mesmos termos da licença original.

4- Integridade do autor do código fonte

A licença deve, de maneira clara e explícita, permitir a distribuição do programa construído por meio do código fonte modificado. No entanto, a licença pode requerer que programas derivados tenham um nome ou número de versão distintos do programa original. Isso dependerá da preferência do desenvolvedor do código.

5 - Não discriminação contra pessoas ou grupos

A licença deve estar disponível para qualquer grupo de pessoas e qualquer indivíduo.

6 - Não discriminação contra áreas de atuação

A licença deve permitir que qualquer pessoa de qualquer ramo específico possa fazer a utilização do programa. Ela não deve impedir, por exemplo, que uma empresa faça uso de seu código.

7 - Distribuição da Licença

Os direitos associados ao software devem ser aplicáveis para todos aqueles cujo programa é redistribuído, sem que exista a necessidade da execução de uma nova licença, ou licença adicional para estas partes.

8 - Licença não específica a um produto

O programa não fazer parte de um outro software, sendo que para utilizá-lo é obrigatório que seja distribuído todo o programa. Se o programa é extraído dessa distribuição, é necessário assegurar que todas as partes sejam disponibilizadas e redistribuídas para todos, visto que todos possuem os mesmos direitos que aqueles que são garantidos em conjunção com a distribuição de programas original.

9 - Licença não restrinja outros programas

A licença não pode ser considerada open source se colocar restrições em outros programas que são distribuídos juntos com o programa licenciado.

10 - Licença neutra em relação à tecnologia

A licença deve permitir que sejam adotadas interfaces, estilos e tecnologias sem restrições. Isso quer dizer que nenhuma cláusula da licença pode estabelecer regras para que estes quesitos mencionados sejam aplicados ao programa.