Xiaomi e B2W fecham parceria para a venda de smartphones da marca em seus sites

Por Rafael Rodrigues da Silva | 18 de Junho de 2019 às 20h20
Tudo sobre

Xiaomi

Saiba tudo sobre Xiaomi

Ver mais

Em informação obtida com exclusividade pela revista EXAME, a Xiaomi firmou uma parceria com a empresa de e-commerce B2W para impulsionar a venda dos smartphones da marca chinesa no país. Isso quer dizer que, a partir desta quarta-feira (19) será possível encontrar todos os modelos que a chinesa trouxe para o Brasil nos sites Americanas.com, Submarino e Shoptime.

Segundo a revista, esse acordo entre a Xiaomi e a B2W não irá mudar em nada o já existente entre a marca chinesa e a DL, que é o braço logístico da Xiaomi no país. A DL continuará responsável por todo o processo de importação e distribuição dos produtos da marca, e a B2W ficará responsável apenas pela venda deles em suas plataformas online e o envio desses produtos para os clientes.

Claro, já é possível encontrar aparelhos da Xiaomi dentro dos sites da B2W há anos, mas esses produtos são vendidos apenas no modelo de marketplace; ou seja, são outros lojistas que utilizam os sites da B2W apenas como “vitrine” para seus produtos. Com o acordo entre as empresas, a diferença é que esses produtos passarão a ser oferecidos pela própria varejista, e toda a parte de pós-venda (como garantia e dúvidas do usuário sobre a entrega) será efetuada pela B2W em conjunto com a Xiaomi.

O contrato firmado é bom para ambas: para a B2W, pode significar um impulsionamento das vendas de eletrônicos — as pesquisas por smartphones da Xiaomi cresceram 254% no primeiro trimestre deste ano, após o anúncio de que ela estava voltando oficialmente para o Brasil —, enquanto para a Xiaomi, além de ser mais uma vitrine para expor seus produtos, também não obriga a empresa a ter dar qualquer tipo de exclusividade para a B2W, deixando-a livre para fechar parcerias com outras do mesmo ramo, como o Magazine Luiza e o Mercado Livre.

Por enquanto, os modelos que serão vendidos pela B2W serão os Mi 9, Mi 8 Lite, Redmi Note 7, Redmi 7, Redmi Go, Redmi Note 6 Pro e Pocophone F1. Todos eles poderão ser encontrados não apenas nos sites que pertencem ao grupo B2W (Americanas, Submarino e Shoptime), como também no site oficial da Xiaomi, que continuará operando normalmente.

Essa é a segunda tentativa da empresa chinesa de entrar com força no mercado de smartphones brasileiro, já que em 2015 ela não teve força suficiente para bater de frente com outras marcas mais conhecidas do público, como Samsung, Motorola, LG e Apple, e se viu obrigada a encerrar sua operação pouco mais de um ano depois de iniciá-la.

Fonte: EXAME

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.