Apple diz que guerra comercial dos EUA com a China pode ser desastrosa

Por Felipe Ribeiro | 21 de Junho de 2019 às 10h59
Reprodução / Apple
Tudo sobre

Apple

Saiba tudo sobre Apple

Ver mais

Em uma carta enviada ao Representante de Comércio dos Estados Unidos, Robert Lighthizer, a Apple diz que as tarifas da administração Trump poderiam reduzir a produção econômica da empresa e colocá-la em desvantagem em comparação com concorrentes internacionais, particularmente seus equivalentes chineses. A companhia argumenta que as tarifas propostas afetariam quase todos seus aparelhos, incluindo o iPhone, MacBook, AirPods e Apple Watch, além de prejudicar os funcionários e sua capacidade de contribuir com a economia do país.

Até agora, a Apple tem tentado contornar as tarifas impostas por Donald Trump, apesar de sua forte dependência da manufatura chinesa. A empresa conseguiu fazer com que dispositivos como iPhone e Apple Watch não caíssem na roda de tarifação, mas adaptadores, carregadores e cabos já foram afetados.

Em maio, o governo Trump anunciou uma expansão maciça dessas tarifas, cobrando uma alíquota de 25% em quase todas as categorias de produtos que antes não eram afetadas, incluindo computadores, smartphones e televisões. O Escritório do Representante de Comércio dos EUA está atualmente buscando soluções sobre essa taxação, razão pela qual a Apple escreveu a carta.

Outros fabricantes de notebooks e outros produtos, como Dell, HP, Intel e Microsoft, também escreveram uma carta para expressar sua oposição ao aumento. "As tarifas prejudicarão os líderes de tecnologia dos EUA, dificultando sua capacidade de inovar e competir em um mercado global", argumentaram as empresas.

Se essas medidas entrarem em vigor, marcas como a Apple não têm muitas opções para evitá-las, a não ser transferir sua produção para fora da China, algo que a Apple estaria supostamente explorando. Rumores dão conta de que a Maçã poderia concentrar sua produção em algum país do sudeste asiático, como o Vietnã.

Fonte: The Verge

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.