Uber recua e desiste de testar carros autônomos nas ruas de São Francisco

Por Redação | 22 de Dezembro de 2016 às 08h23

Chegou ao fim a polêmica envolvendo a Uber, seus carros autônomos e as autoridades reguladoras do trânsito de São Francisco, nos Estados Unidos. Na semana passada, a startup colocou seus veículos que dirigem sozinhos para circular nas rodovias da cidade sem a autorização do Department of Motor Vehicles (DMV), o correspondente ao Detran na Califórnia, dando início a uma disputa digna de cabo de guerra com as autoridades. Agora, a briga finalmente chegou ao fim.

Como aponta reportagem do Wall Street Journal, o mal-estar foi causado pelo fato de a empresa ter agido de maneira independente e negligente, alegando que não precisaria da autorização do DMV para botar seus carros sem motoristas para circular em São Francisco. O departamento, por sua vez, logo tratou de desmentir os argumentos da Uber e considerar os testes ilegais. Apesar disso, a empresa insistiu e deixou os carros circulando como se não houvesse nada de errado.

Apesar da ousadia, não demorou para muita gente ver que o DMV estava certo em exigir que a Uber passasse pelo mesmo processo que concedeu a empresas como Alphabet, Tesla e General Motors autorização para circular esse tipo de carro por lá. Os advogados da entidade ameaçaram processar a startup alegando que ela não só estava passando por cima da lei como também colocando a vida das pessoas em risco. E o argumento estava certo, já que no primeiro dia de testes pelo menos um carro autônomo da Uber foi flagrado cortando o sinal vermelho, um claro sinal de que os carros não estão prontos para circular em estradas públicas.

Como não houve acordo nesse sentido, o "Detran" californiano emitiu um ultimato autorizando a polícia a recolher os 16 carros autônomos da Uber que estavam sendo testados. Só assim a Uber recuou e disse que vai "redobrar os esforços para desenvolver regras operacionais em todo o estado" e que agora está "onde pode reimplantar esses carros e continuar 100% comprometido com a Califórnia".

É um pedido de desculpas amarelo que não soa como tal e que apenas reforça a postura que a Uber vem adotando em relação a seus veículos que dirigem sozinhos nos Estados Unidos. Em várias cidades, a empresa desafiou a lei e tornou as autoridades em espécies de reféns, persuadindo e fazendo-as reescrever leis para legitimar seus serviços. A tática, entretanto, não funcionou na Califórnia, onde as autoridades, mais acostumadas a lidar com esse tipo de pressão, se mantiverem firmes e fortes.

Fonte: The Wall Street Journal

Inscreva-se em nosso canal do YouTube!

Análises, dicas, cobertura de eventos e muito mais. Todo dia tem vídeo novo para você.