Uber começa a usar carros que dirigem sozinhos em São Francisco

Por Redação | 14 de Dezembro de 2016 às 12h02

Aos poucos a Uber vai expandindo a oferta de carros que dirigem sozinhos em seu serviço de transportes. Depois de passar meses testando os veículos em ambiente controlado e levá-los às ruas de Pittsburgh, na Pensilvânia, nesta quarta-feira (14) a empresa anunciou que eles também estão circulando em São Francisco.

A empresa não disse quantos carros autônomos compõem a frota, mas garantiu que já a partir de hoje os passageiros serão "agraciados" com Volvos XC90 que percorrerão as famosas ladeiras da cidade californiana sem a intervenção de um motorista. Quer dizer, mais ou menos isso.

Embora não admita, a Uber precisa de uma autorização especial do Department of Motor Vehicles - o correspondente ao Detran na Califórnia - para botar carros 100% autônomos nas ruas. Por isso, a empresa disse que pelo menos um funcionário estará no carro por questões de segurança, para monitorar e assumir o volante se houver necessidade.

"Entendemos que há uma controvérsia sobre a necessidade de precisarmos ou não de uma autorização para lançar carros que dirigem sozinhos em São Francisco, mas acreditamos que não", disse Anthony Levandowski, diretor do grupo de tecnologias avançadas da Uber numa publicação no blog da empresa. "[No fim das contas] Ainda estamos em fases iniciais e nossos carros não estão prontos para sair por aí sem uma pessoa para monitorá-los", ponderou o executivo.

Ele ainda destaca que 2016 foi um ano de conquistas para a empresa, cujos esforços tornaram a ideia de carros autônomos na plataforma em realidade. À medida que a startup avança nesse sentido, também cresce o número de empresas dispostas a concorrer com ela no segmento.

Nesse aspecto, o Google é a que mais preocupa. A companhia sediada em Mountain View já vem investindo esforços nos tais carros que dispensam motorista há sete anos e nesta terça-feira (13) anunciou a criação da Waymo, empresa-filha especializada nesse tipo de tecnologia e que cuja missão é "tornar fácil e seguro o transporte de pessoas e objetos".

O escrutínio das entidades reguladoras é outro ponto que preocupa a Uber. "Muitas cidades e estados reconhecem que leis e exigências complexam podem acabar retardando a inovação", disse Levandowsky. "Pittsburgh, Arizona, Nevada e a Flórida são exemplos de locais a favor da tecnologia. Nossa esperança é que a Califórnia também venha a compartilhar dessa visão".

Via Uber, VentureBeat

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.