Microsoft investe em tecnologia que identifica imagens falsas

Microsoft investe em tecnologia que identifica imagens falsas

Por Felipe Demartini | Editado por Claudio Yuge | 16 de Setembro de 2021 às 19h00
Pixabay

A Microsoft anunciou nesta semana a participação em um aporte financeiro de US$ 26 milhões na Truepic, empresa que desenvolve uma tecnologia de verificação de imagens e identificação de deep fakes ou cenas manipuladas digitalmente. O sistema funciona por meio de criptografia e análise de metadados, informações de localização e outros detalhes em fotos e vídeos, de forma a proteger seu conteúdo e apontar alterações posteriores.

De acordo com o CEO da Truepic, Jeff McGregor, a tecnologia trabalha de forma inversa a outros sistemas de verificação parecidos, já disponíveis no mercado. Em vez de buscar o que foi manipulado ou é artificial nas capturas, o recurso valida aquilo que é real por meio de sua proveniência, gerando a autenticidade no momento em que a cena é capturada a partir da câmera.

A ideia, de acordo com a companhia, é criar uma versão “autenticada” das imagens para serem usadas em transações comerciais ou oficiais, bem como qualquer outra aplicação em que arquivos legítimos sejam necessários. A partir dessa verificação inicial, até mesmo os deep fakes ou manipulações mais sofisticadas poderão ser detectadas pelo simples fato de a marca de validação, se é que podemos chamar assim, será diferente da original.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

O aporte financeiro foi liderado pela M12, braço de investimentos da Microsoft, e também contou com a participação de outras empresas como Adobe, Sony e mais firmas de capital. O total exato colocado pela empresa de Redmond não foi revelado, com a nova entrada financeira levando o valor estimado da Truepic à marca de US$ 36 milhões.

Tercnologia da Truepic valida imagens no momento em que são produzidas, gerando autenticação que protege as cenas contra manipulações posteriores (Imagem: Divulgação/Truepic)

James Wu, diretor da M12, cita a ameaça crescente dos deep fakes como o principal fator e fala na investida como uma das pioneiras no fornecimento de uma tecnologia que permita validar imagens de forma rápida e confiável. O executivo vê as manipulações como um risco crescente para a sociedade, com plataformas como a da Truepic ajudando a combater fraudes e notícias falsas.

Hoje, a companhia já atua junto a setores financeiros e de seguros, auxiliando as empresas a validarem documentos enviados remotamente pelos clientes, principalmente em um momento de pandemia em que o atendimento presencial se tornou pouco ideal. Nomes como Equifax, Ford, Palomar e Accion estão na lista de clientes, o que, por si só, já explica o interesse da Microsoft.

Junte a isso notas de mercado como o crescimento de 300% no faturamento em 2020, justamente por conta das mudanças geradas pela covid-19 nos setores financeiros e de comércio eletrônico, bem como os registros de mais de uma dezena de patentes. Agora, com o sistema em funcionamento, a ideia é trabalhar na distribuição da tecnologia, um elemento que, também, pode servir de explicação para outros dos nomes presentes na nova rodada de investimentos.

No centro está o Truepic Lens, que deve funcionar de forma integrada a softwares de terceiros. O investimento também será usado para dobrar a equipe da empresa ao longo dos próximos 18 meses — hoje, ela conta com 50 funcionários, um total que já representa um crescimento de 100% em relação aos 25 que trabalhavam por lá no ano passado.

Fonte: TechCrunch

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.