Mesmo proibido na China, Facebook abre uma subsidiária no país

Por Patrícia Gnipper | 24 de Julho de 2018 às 21h45
Quartz
Tudo sobre

Facebook

A China não permite o acesso local ao Facebook, bem como a outras redes sociais que dominam o ocidente. Mas, apesar desse bloqueio, a companhia de Mark Zuckerberg está montando uma subsidiária na China, indicando que a empresa pode estar ampliando sua presença no país.

Um porta-voz do Facebook disse que a companhia estava lançando, na verdade, um "centro de inovação" na China, com o objetivo de apoiar desenvolvedores locais. A subsidiária já teve investimento de US$ 30 milhões e está registada em Hangzhou, onde também fica a sede da gigante Alibaba.

O Facebook disse, ainda, que segue aprendendo diferentes abordagens quanto ao que é preciso fazer para poder operar na China. Serviços como Twitter, Google e WhatsApp também são bloqueados por lá, com o país fornecendo serviços similares locais para a população, como o Weibo (que faz as vezes do Twitter) e o WeChat (substituto do WhatsApp).

Participe do nosso GRUPO CANALTECH DE DESCONTOS do Whatsapp e do Facebook e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

A Google é uma empresa cujos serviços são bloqueados no país, mas que tem atuação chinesa, com funcionários locais. Recentemente, a gigante abriu um laboratório de inteligência artificial por lá, também lançando aplicativos para o mercado chinês.

Já o Facebook, ao menos por enquanto, diz que sua subsidiária se concentrará em prover treinamentos e workshops para ajudar desenvolvedores de software no que diz respeito à inovação. Centros semelhantes em outros países existem, como é o caso de escritórios locais na França, Índia, Coréia do Sul e Brasil.

Fonte: Business Insider

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.