Funcionários da Google pedem que painel com Eric Schimidt sobre IA não aconteça

Funcionários da Google pedem que painel com Eric Schimidt sobre IA não aconteça

Por Natalie Rosa | 03 de Setembro de 2019 às 18h37
Reprodução

Uma conferência marcada para o mês que vem com Eric Schmidt, ex-CEO da Google e ex-presidente da divisão Alphabet, pode não acontecer se depender de protestantes. O executivo está envolvido em acusações de acobertar má conduta sexual e abuso, entre outras controvérsias de censura.

Um grupo de ativistas, acadêmicos e atuais funcionários da Google está pedindo à Universidade de Stanford, onde deve acontecer a conferência com temática de inteligência artificial, que reconsidere o convite. Jack Poulson, ex-cientista da Google, enviou uma carta aberta à universidade.

"Existem inquéritos recentes sérios e verdadeiros sobre a conduta ética do Sr. Schmidt. Por isso, recomendo fortemente que o seu papel como palestrante seja rescindido. Caso isso não aconteça, acredito que toda a missão do seu instituto deva ser questionada", diz a carta aberta.

Imagem: Reprodução

O documento foi assinado por mais de 40 pessoas, sendo 20 delas atuais funcionários do YouTube e da Google, além de professores e pesquisadores de universidades como Harvard e Georgetown, e co-fundadores de uma organização que se opõe à censura chinesa, o Greatfire.org.

No ano passado, Poulson pediu publicamente o seu afastamento do cargo em meio a acusações de que a companhia estaria desenvolvendo um mecanismo de busca censurado para a China.

Em resposta à carta, o instituto de inteligência artificial da Universidade de Stanford contou à imprensa norte-americana que o convite a Schmidt não será rescindido.

"Esperamos que essa conferência seja um exemplo esclarecedor do nosso compromisso em comandar um debate aberto e vigoroso sobre problemas difíceis que possam se beneficiar da discussão pública. Rescindir o nosso convite a qualquer um dos palestrantes seria um anátema para o propósito da conferência, do instituto e da universidade", contou um porta-voz.

Logo depois, quem se manifestou sobre a carta foi Rob Reich, professor da Universidade de Stanford e diretor do instituto. "O papel de Erich Schmidt na conferência não é concender um painel sozinho, mas sim incentivar um diálogo com Marietje Schaake, ex-membro do Parlamento Europeu e líder nos esforços de regular a grande tecnologia na União Europeia", disse Reich.

Em sua conta no Twitter, Poulson respondeu ao professor afirmando que não está pedindo a remoção de Schimidt da conferência, apenas que o convite para o painel seja rescindido, sugerindo ainda que uma discussão no formato de mesa redonda seria a melhor opção, em vez de ter que enfrentar uma fila para questionar o orador principal.

No início deste ano, Eric Schmidt se envolveu em uma polêmica com Andy Rubin, que teria recebido US$ 90 milhões para deixar a companhia de forma discreta mediante a acusações de assédio sexual.

Fonte: The Verge, Tech Inquiry

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.