Domínio da Apple e Google em celulares é investigado no Reino Unido

Domínio da Apple e Google em celulares é investigado no Reino Unido

Por Igor Almenara | Editado por Douglas Ciriaco | 17 de Junho de 2021 às 10h05
Robert Scoble (VisualHunt)/Matcuz (Pixabay)

Embora existam outros sistemas operacionais disponíveis no mercado mobile, via de regra, as principais escolhas ficam entre o iOS, da Apple, e o Android, do Google. No Reino Unido, a Competition and Markets Authority (CMA, órgão que regulamenta o mercado no país) está preocupada com o domínio da dupla e anunciou que analisará a dinâmica desse segmento para identificar até que ponto ela é favorável ou desfavorável para consumidores.

A investigação também vasculhará detalhes das lojas de aplicativos nativas (App Store e Play Store) e a competitividade dos navegadores de ambas as fabricantes (Safari e Chrome), segundo a publicação lançada na última terça-feira (17). A CMA quer entender se o que ela caraterizou como duopólio resulta em perdas para consumidores em áreas distintas.

O órgão regulador buscará por indícios de impactos positivos ou negativos sobre outras companhias, especialmente aquelas que dependem das lojas de apps para vender seus produtos em smartphones. A autoridade se diz preocupada sobre o domínio da dupla de gigantes no “ecossistema mobile”, segmento que engloba todas as portas de acesso para produtos a partir do celular, incluindo serviços como streaming, TV, compras, bem-estar e controle de dispositivos inteligentes.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

Lojas de aplicativos são os principais meios de acesso aos serviços de terceiros (Imagem: James Yarema/Unsplash)

“A Apple e o Google controlam as principais vias nas quais as pessoas baixam aplicativos ou navegam na web em seus celulares — seja para fazer compras, jogar, ouvir música ou assistir a TV. Investigamos se isso pode estar criando problemas para os consumidores e para as empresas que desejam alcançar as pessoas pelos portáteis”, disse o chefe executivo da CMA, Andrea Coscelli.

Segundo ele, o trabalho em andamento já revelou “tendências preocupantes” que, se não controladas, consumidores e companhias sairiam prejudicados. “É por isso que pressionamos com o lançamento deste estudo, enquanto configuramos uma nova Unidade de Mercados Digitais para usar os resultados desta investigação na estruturação de planos futuros”, complementou Coscelli.

Foco total para a preservação da competitividade

O estudo é parte de um amplo trabalho investigativo da CMA, cujo objetivo inclui a estruturação de regulamentos favoráveis à competitividade em marcados digitais por meio da citada Unidade de Mercados Digitais. Em paralelo, a entidade investiga especificamente a App Store e as propostas do Google Privacy Sandbox sob ótica semelhante.

Por agora, a autoridade do Reino Unido está aberta a opiniões relacionadas às questões levantadas na investigação e um questionário será usado para dar espaço às perspectivas de desenvolvedores de aplicativos, que podem respondê-lo até dia 26 de julho. O estudo da CMA tem 12 meses para ser concluído.

Fonte: GOV.UK, CNET

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.