CEO do Snapchat agradece Apple e defende taxa de 30% da App Store

Por Igor Almenara | Editado por Douglas Ciriaco | 24 de Maio de 2021 às 09h55
Snapchat

O CEO do Snapchat, Evan Spiegel, mostrou que não há uma opinião única na indústria de aplicativos quando se trata da comissão de 30% cobrada pela Apple na App Store. Ao contrário do posicionamento de representantes de empresas como Epic Games e Spotify, que processao a Maçã justamente por causa da cobrança do "imposto Apple", o chefe da rede social confessou ser grato por contribuir com a taxa em troca de utilizar o ecossistema da companhia de Tim Cook e aproveitar as constantes evoluções.

“Sentimos que o Snapchat nunca existiria sem o iPhone e sem a maravilhosa plataforma criada pela Apple”, comentou Spiegel em uma entrevista à CNBC. “Nesse sentido, não tenho certeza se temos escolha sobre pagar a comissão de 30% e, claro, somos gratos por fazer isso em troca de toda a incrível tecnologia que ela nos dá em software e também dos avanços em hardware”, complementou o executivo.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

Para o CEO do Snapchat, portanto, a taxa da Apple se justifica enquanto ela continua evoluindo a loja, desenvolvendo produtos de ponta e criando um ambiente próspero para o crescimento de aplicativos. No mesmo sentido, o executivo disse estar “alinhado” aos princípios da Maçã em relação às políticas de transparência embarcadas no App Tracking Transparency (ATT), implementado no iOS 14.5.

Divergências no mercado

A opinião de Spiegel contrasta com a vontade de outras importantes figuras no segmento — com a do Facebook ao se mostrar favorável ao ATT, e com a da Epic Games, ao concordar com a taxa de 30%. O atrito com grandes competidores do mercado de apps rendeu à Apple brigas judiciais que se alastram por anos e, especialmente com a dona de Fortnite, revelações potencialmente problemáticas.

Acusada de gerenciar a loja de aplicativos com regras arbitrárias, a disputa nos tribunais com a Epic Games levou a Apple a revelar documentos em que discutia a troca de vantagens com parceiros estratégicos na App Store, como a Netflix. Do outro lado, a companhia de Tim Cook alega que a Microsoft utiliza a desenvolvedora da Unreal Engine para atingir interesses particulares.

Se o CEO da Snap mantiver o posicionamento favorável às práticas da Apple, ele não deve encabeçar nenhuma acusação na justiça contra ela. Essa relação amistosa pode mudar de uma hora para outra conforme mais informações forem destrinchadas na justiça, por isso, vale continuar atento às novidades dessa briga.

Fonte: CNBC

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.