Boas vendas do Galaxy S6 podem prejudicar produção dos novos iPhones

Por Redação | 16.04.2015 às 12:02
photo_camera Divulgação

Todo mundo sabe que a batalha entre os smartphones pela preferência dos consumidores vai muito além das prateleiras e espaços publicitários. Ela também acontece nos bastidores, em fábricas de produção de chips e contratos estrategicamente assinados até mesmo entre as rivais. E são justamente esses dois últimos fatores que estariam preocupando a Apple caso o Galaxy S6 realmente bata recordes de vendas e estoure no mercado mundial.

A opinião é de Ming-Chi Kuo, analista da KGI, uma consultoria especializada em análises do mercado de tecnologia. Segundo ele, os modelos normais e Edge do novo smartphone da Samsung irão exceder as expectativas da companhia e, com isso, podem acabar fazendo com que ela priorize sua fabricação para dar conta da demanda, deixando os contratos de terceirização, como alguns firmados com a Apple, em segundo plano.

E é aí que entra o principal problema, já que, em uma decisão irônica, mas que faz todo o sentido do ponto de vista comercial, é a empresa sul-coreana quem vai produzir os chips A9 para os novos modelos de iPhone. O iminente sucesso do Galaxy S6 já estaria deixando executivos da Maçã preocupados, uma vez que ele pode significar que se tem não apenas um concorrente de peso no mercado, mas também um empecilho que atinge a companhia antes mesmo dela anunciar seu novo smartphone.

A relação entre oferta e demanda sempre foi bastante complicada para a Apple. A cada ano, no lançamento de novos produtos, sempre surgem relatos de esgotamento dos produtos nas prateleiras dos principais mercados ou uma demora em lançamentos internacionais motivada justamente pelo fato dos consumidores estarem comprando mais do que a empresa é capaz de produzir.

Modificar um cronograma de produção não é tão simples quanto parece, uma vez que toda a coisa envolve contratos e negociações. Mas alterações podem ser perfeitamente realizadas e, de forma a garantir que os problemas não aconteçam, a Apple já estaria modificando pelo menos um terço de sua fabricação de processadores A9 para a TSMC, outra fornecedora asiática com experiência no trabalho.

Enquanto isso, a Samsung também já estaria reforçando suas plantas de fabricação na tentativa de ampliar o ritmo de produção de aparelhos em 40%, produzindo mais de 50 milhões de unidades com foco, principalmente, no Galaxy S6 Edge, cuja tela é muito mais complicada de ser produzida e montada.

No final das contas, porém, todas as informações se baseiam em uma mistura de especulações, rumores e, acima de tudo, expectativas. A Apple, como sempre, não se pronunciou sobre o assunto, mas todos sabem que uma nova geração de iPhones deve sim chegar ao mercado no final do ano. E, se seguir a tendência dos períodos anteriores, os aparelhos serão versões aprimoradas dos modelos tradicionais e Plus que já se encontram nas lojas neste momento.

Enquanto isso, a Samsung se prepara para a chegada do Galaxy S6 em diversos territórios mundiais, inclusive no Brasil. Por aqui, as pré-vendas começam nesta quinta-feira (16), com lançamento marcado para o próximo sábado, 25 de abril. Os preços são salgados e vão de R$ 3.299 para a versão de 32 GB do modelo tradicional até R$ 4.299 para um Edge com 64 GB de armazenamento.

Fonte: Business Insider