6 linguagens de programação indicadas para a robótica

6 linguagens de programação indicadas para a robótica

Por Dácio Castelo Branco | Editado por Claudio Yuge | 09 de Junho de 2022 às 19h00
Zinkevych_D/Envato

A realidade de ficções científicas, com robôs fazendo parte do dia a dia de pessoas está cada vez mais próxima — com exemplares de produtos robóticos chegando no mercado geral e também com empresas desenvolvendo opções capazes de desempenhar tarefas cada vez mais complexas.

Mas para esses robôs funcionarem, um extenso processo de criação e testes é realizado — e essa situação envolve programadores, que vão criando formas e softwares que ditem a maneira que a máquina pode funcionar — e considerando o envolvimento nesses processos de empresas de tecnologia de ponta, os salários podem ser bem altos e atraentes para profissionais.

Para auxiliar esses profissionais que almejam, então, trabalhar nessa indústria, o site TechTimes preparou uma lista com as linguagens de programação que mais podem ajudar no desenvolvimento de softwares para robôs. Confira:

Java

O Java, com seus 30 anos de história, também obteve papel no desenvolvimento de robôs. (Imagem: Reprodução/Java)

O Java, em seus 30 anos de história, adquiriu importante papel no desenvolvimento de APIs que, ao serem utilizadas em robôs, podem auxiliar as máquinas a realizar tarefas como processamento de imagens, alterações vocais, e tradução de diversas línguas.

Para programadores iniciantes, pode ser que Java seja algo complexo por conta de sua sintaxe detalhada, principalmente se comparada com outras linguagens — mas se o profissional quer entrar no mundo de criar software para robôs, ela é uma importante competência.

C/C++

C e C++ podem ser ótimas opções para desenvolvimento de softwares para robôs, graças as suas capacidades de poderem ser comunicar com hardwares de baixo nível, suas variadas bibliotecas de funções, permitindo assim situações que os programas possam ser utilizados para situações mais complexas.

C#

O C# se destaca no mundo de desenvolvimento de softwares para robôs por ser uma das principais linguagens usadas na ferramenta Robotics Developer Studio, da Microsoft — que, embora tenha tido a última atualização em 2012, até hoje é visto como um bom sistema para desenvolvedores aprenderem o básico dessas máquinas.

Nesse sentido, o C# é recomendado principalmente para iniciantes no mundo dos robôs, sendo uma interessante opção para os entusiastas “testarem as águas” e descobrirem se é isso mesmo que querem trabalhar com.

MATLAB

MATLAB, sigla de Matrix Laboratory, é uma linguagem de programação que, através de uma interface amigável, permite que seus desenvolvedores possam ter total noção dos programas que estão desenvolvendo — com todos os aspectos e possíveis problemas sendo representados por meio de terminologias matemáticas.

Muitas empresas que estão criando robôs utilizam o MATLAB para criarem os sistemas controladores das máquinas, principalmente no estágio de testes e protótipos, já que a interface do código permite que problemas sejam identificados e resolvidos rapidamente.

Python

Python, sendo uma das linguagens de programação mais populares do mundo, também tem espaço no desenvolvimento de robôs. (Imagem: Reprodução/Johnson Martin/Pixabay)

O Python é uma das linguagens-chave para o Robots Operating System (ROS), um grupo de aplicações voltadas ao desenvolvimento de robôs, que envolvem diversas bibliotecas e repositórios de códigos com variadas funções.

Considerando que o ROS está se tornando cada vez mais popular para construção e criação de robôs, saber como operar uma de suas linguagens-chave, como o Python, pode ser uma boa pedida para quem quiser entrar nesse mercado.

LISP

A LISP estreou em 1958, sendo uma das primeiras linguagens de programação do mundo — e ela encontra utilizações até hoje, sendo um dos códigos-chave do Robot Operating System (ROS), em conjunto com o Python.

Embora para muitos programadores ela possa parecer uma competência talvez redundante em 2022, para quem quiser entrar no mercado de robôs, a realidade é que ela pode ser uma ótima opção.

Fonte: TechTimes

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.