Publicidade

Por que ninguém sentiu o terremoto de 6,6 graus no Brasil?

Por| Editado por Luciana Zaramela | 24 de Janeiro de 2024 às 12h47

Link copiado!

U.S. Geological Survey
U.S. Geological Survey

No sábado (20), por volta das 18h30, o Brasil registrou um dos maiores terremotos da história, com magnitude de 6,6 na escala Richter. O epicentro foi em Ipixuna, cidade do Amazonas próxima à fronteira com o Peru e perto do Vale do Javari. O curioso é que não foram compartilhados relatos de tremores por parte dos moradores, como se “nada” tivesse acontecido.

Quando se pensa em terremotos, a primeira ideia que se tem é que de prédios balançando, objetos caindo e muita destruição, o que costuma viralizar em vídeos divulgados nas redes sociais. É o que aconteceu com o tremor recentemente registrado na Colômbia, com 5,6 graus. Porém, no caso brasileiro, nenhum dano estrutural foi registrado até o momento, segundo a Agência Brasil.

Uma possível explicação para ninguém ter “sentido” o terremoto é o fato da região ter uma população pequena, com cerca de 30 mil habitantes, limitando a capacidade de viralização de relatos. 

Continua após a publicidade

No entanto, o sismólogo Diogo Coelho, do Observatório Nacional, afirma que a verdadeira explicação é outra. O abalo ocorreu a 614,5 quilômetros de profundidade, o que limita bastante o seu impacto na superfície.

Por que o terremoto não foi sentido?

“Essa região próxima à fronteira com o Peru costuma ter terremotos de grandes magnitudes”, afirma Coelho, em nota. Neste caso, o abalo ocorreu devido ao movimento de subducção entre a placa tectônica de Nazca e a placa Sul-Americana

De forma detalhada, a placa de Nazca, conhecida por ser mais densa, entrou por baixo da outra, em um movimento que originou o terremoto. Só que isso só ocorre em grandes profundidades. 

Continua após a publicidade

Para o especialista, não é comum a população sentir esses terremotos, já que são muito profundos e a força dos sismos vai sendo dissipada enquanto chega à superfície. 

Embora essa região do Amazonas seja propensa aos terremotos, a profundidade do sismo e a baixa densidade populacional limitam o risco. “Portanto, não há razões para preocupação”, completa Coelho.

Maior terremoto do Brasil?

Continua após a publicidade

O terremoto na Região Norte foi identificado pelo Serviço Geológico dos Estados Unidos (USGS). Também foi registrado pelo Centro de Redes de Terremotos da China e pela Rede Sismográfica Brasileira. Nos três, o consenso é de que o tremor tenha alcançado a magnitude de 6,6 graus na Escala Richter.

Assim, é possível considerar que este foi um dos maiores terremotos já registrados no Brasil. Na história recente, outro abalo sísmico semelhante foi registrado na região da Serra do Tombador, no estado do Mato Grosso, no dia 31 de janeiro de 1955. A magnitude foi de 6,2 graus na Escala Richter.

Entretanto, até o momento, o maior terremoto continua a ser o que ocorreu em 9 de novembro de 1963, em Tarauacá, no Acre, com magnitude 7,6 na Escala Richter, segundo dados do USGS.

Fonte: Observatório Nacional, Agência Brasil e USGS