Monte Etna cresce 30 metros após várias erupções nos últimos seis meses

Monte Etna cresce 30 metros após várias erupções nos últimos seis meses

Por Wyllian Torres | Editado por Patrícia Gnipper | 16 de Agosto de 2021 às 12h27
Unplash/Shawn Appel

Localizado próximo à costa leste da cidade Sicília, na Itália, encontra-se o Monte Etna, o vulcão mais ativo da Europa e um dos maiores vulcões continentais do mundo. Após uma série de erupções vulcânicas ao longo dos últimos seis meses, imagens de satélite revelam que o Etna cresceu cerca de 30 metros, tornando a cratera sudeste a mais alta entre as quatro crateras do cume.

A mais jovem e ativa das crateras do Etna é, agora, também a parte mais alta do vulcão, atingindo cerca de 3.357 metros acima do nível do mar. É a maior altura já registrada na história, segundo o Instituto Nacional de Geofísica e Vulcanologia (INGV, na sigla em inglês). Desde 16 de fevereiro deste ano, a cratera sudeste teve cerca de 50 erupções, lançando tanto material que o fez crescer 30 metros em apenas seis meses.

(Imagem: Reprodução/INGV)

A cratera nordeste, a “irmã mais velha”, manteve-se como o ponto mais alto do Monte Etna nos últimos 40 anos. Entre 1980 e 1981, a cratera entrou em erupção e atingiu uma altura de 3.350 metros, mas diminuiu ao longo dos anos, à medida que as bordas da cratera desabavam — até o verão de 2018, tinha cerca de 3.326 metros de altura. Os pesquisadores descobriram o crescimento da cratera sudeste enquanto analisavam imagens feitas pelo satélite de observação terrestre Plêiades, registradas entre 13 e 25 de julho — os dados têm cerca de 3 metros de incerteza.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

Ao que tudo indica, o Monte Etna surgiu a partir de um vulcão submarino que cresceu lentamente até superar o nível do mar, crescendo mais e mais a cada erupção, de acordo com o Earth Observatory, da NASA. A maior parte de sua superfície é coberta por fluxos de lava históricos com erupções que datam de 300.000 anos.

Entre todos os vulcões da Terra, o Monte Etna tem o registro mais longo da história. O primeiro data de 1500 a.C. — desde então, foram cerca de 200 erupções. O vulcão tem estado mais ativo nos últimos anos, em especial neste ano de 2021, com uma média de 16 erupções. Para visualizar o maior e mais ativo vulcão da Europa em 3D, clique aqui.

Fonte: Space.com, INGV

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.