Publicidade
Economize: canal oficial do CT Ofertas no WhatsApp Entrar

Frente fria deve piorar chuvas no Rio Grande do Sul

Por| Editado por Luciana Zaramela | 07 de Maio de 2024 às 09h14

Link copiado!

Wolfgang Hasselmann/Unsplash
Wolfgang Hasselmann/Unsplash

A essa altura, é muito provável que você já esteja a par da situação grave das chuvas no Rio Grande do Sul. Para se ter uma noção do estrago, as chuvas no RS deixaram mais de 75 mortos. Segundo a previsão do Instituto Nacional de Meteorologia (INMET), na próxima quarta-feira (8), os temporais se espalham pelo estado devido ao avanço de uma frente fria.

Conforme o alerta, nas áreas mais ao sul do RS e toda a área de fronteira com o Uruguai, fortes áreas de instabilidade devem causar chuvas volumosas e temporais. No extremo sul do Rio Grande do Sul, os volumes de chuva devem exceder os 100 milímetros (mm) em 24horas podendo superar os 150 mm.

O instituto também prevê temporais, ventos com rajadas acima dos 70 km/h e queda de granizo nas cercanias da região de Pelotas em direção à Campanha e oeste do estado, até a área de Alegrete e São Borja.

Continua após a publicidade

A previsão diz que entre o final desta terça (7) e o decorrer da quarta (8), deve haver um deslocamento de um amplo sistema de baixa pressão atmosférica, no norte Argentina em direção ao sul do Uruguai, e a formação de um ciclone extratropical que se deslocará para o oceano.

Resultado: uma frente fria que cruza o Rio Grande do Sul e traz a instabilidade ao estado. "Neste período, a previsão indica queda acentuada de temperaturas máximas, com prováveis rajadas de vento acima dos 80m k/h e chuva entre 20 a 50 mm em diversas partes do estado", diz o INMET.

Tempo frio e seco no meio da semana

Apesar do frio, o INMET aponta um tempo seco no fim da quarta-feira (8), no sul e no oeste do Rio Grande do Sul. Isso acontece por causa do ingresso de um sistema de alta pressão atmosférica.

De acordo com a previsão, no fim do dia, pode chover no norte do estado. A temperaturas mínimas devem variar de 4 °C a 8 °C nas áreas mais frias do sudoeste, Planalto e Serra. Na capital, Porto Alegre, as temperaturas mínimas ficam ao redor dos 12 °C.

Já na sexta-feira (10), "a instabilidade retorna devido às áreas de instabilidade. No fim de semana, a formação de uma frente fria, com amplo ingresso de reforço de ar frio de origem polar provocam a chuva".

O Instituto conta que a expectativa para o fim de semana é de tempo úmido e gradataviamente mais frio, e que a chuva com mais intensidade deve ocorrer no norte e leste do estado.

Continua após a publicidade

Onda de calor no sudeste

Willians Bini, Chief Climate Officer na FieldPRO, explica que as frentes que se formam ficam retidas no Sul do Brasil e não “distribuem” toda sua energia ao longo de sua trajetória normal, em direção ao Sudeste.

"O Bloqueio justamente impede o avanço dos Sistemas Frontais. Com isso, as chuvas ficaram mais concentradas espacialmente e temporalmente no Sul do Brasil (muita chuva, na mesma região, por vários dias)", relata o especialista.

"Esse momento é estratégico para que possamos monitorar e compreender melhor os inúmeros microclimas de nosso país, e analisar como eles estão mudando, com que velocidade, e principalmente, quais os efeitos que podemos esperar para os próximos anos", Bini opina.

Continua após a publicidade

Essas recentes chuvas no Rio Grande do Sul já foram responsáveis por pelo menos 155 feridos e 103 desaparecidos. O antes e depois da enchente no RS instaura preocupação.

Fonte: Instituto Nacional de Meteorologia, Willians Bini (FieldPRO)