SAIU O RESULTADO DO SORTEIO DO PRÊMIO CANALTECH!CONFERIR
Publicidade

Ar-condicionado ecológico e biomassa de cogumelos ajudam a enfrentar o calor

Por| Editado por Luciana Zaramela | 21 de Novembro de 2023 às 12h07

Link copiado!

Álvaro Bernal/Unsplash
Álvaro Bernal/Unsplash

Novembro foi marcado por uma onda de calor no Brasil, e as buscas por ar-condicionado passaram por um aumento notável. Em paralelo a isso, o evento de tecnologia Web Summit — realizado em Lisboa do último dia 13 ao dia 16 — trouxe inovações que podem ajudar a lidar com a alta temperatura sem ferir o meio ambiente, com direito a um ar-condicionado ecológico e um revestimento à base de cogumelos.

O ar-condicionado foi desenvolvido pela Magnotherm, startup relacionada à Universidade Técnica de Darmstadt, da Alemanha. A tecnologia dispensa o uso de gás e promete, além de menos poluição, o consumo de energia necessário para resfriar um ambiente. O investimento já gira em torno de 6,3 milhões de euros.

Conforme contam os responsáveis, esse material aquece quando é magnetizado e resfria quando é desmagnetizado. Então, ao invés de usar gás, como usado em ar condicionado e em aquecedores, os criadores usam metal. A equipe defende que se trata de um sistema limpo e seguro, que usa apenas água em uma pressão. O principal público-alvo é a produtora de bebidas ou mesmo o supermercado.

Continua após a publicidade

Já a biomassa de cogumelos foi inventada pela startup Mykor. Trata-se de um revestimento feito de papel reciclado que mantém a temperatura de casas e edifícios. É um composto semelhante a uma espuma, que isola o ambiente termicamente, contra o calor e frio.

A proposta da startup é tornar as construções mais sustentáveis, e com o revestimento reciclado e feito de biomassa, reduzir o consumo de energia de ar-condicionado e aquecedores.

Ar-condicionado gera consequências

Continua após a publicidade

Ironicamente, no último mês de setembro, um estudo científico publicado na revista Environmental Research Letters descobriu que ar-condicionado aumenta a temperatura das cidades. O calor residual gerado pelo uso massivo desses aparelhos em uma cidade durante uma onda de calor pode aumentar a temperatura externa em mais de 2 ºC.

Fonte: Magnotherm, Web Summit