SAIU O RESULTADO DO SORTEIO DO PRÊMIO CANALTECH!CONFERIR
Publicidade

Aparelhos de ar-condicionado aumentam a temperatura das cidades

Por| Editado por Luciana Zaramela | 18 de Setembro de 2023 às 14h01

Link copiado!

rushay1977/envato
rushay1977/envato

Com as ondas de calor cada vez mais comuns, como a que deve impactar a maior parte do Brasil nesta última semana de inverno, vale se perguntar se o uso do ar-condicionado é 100% benéfico. Embora o equipamento seja bastante eficaz em deixar um ambiente interno resfriado, como o escritório de uma empresa ou um quarto, ele tem um impacto ambiental. Na verdade, ele pode tornar o lado de fora — incluindo as cidades — mais quente.

O calor residual gerado pelo uso massivo de ar-condicionado numa cidade durante uma onda de calor pode aumentar a temperatura externa em mais de 2 ºC. É o que aponta estudo científico publicado na revista Environmental Research Letters.

Ar-condicionado pode aquecer as cidades

Continua após a publicidade

"Algumas ações destinadas a melhorar a adaptação às alterações climáticas podem fazer mais mal do que bem, especialmente quando consomem energia", avisam os pesquisadores do Centro Científico e Técnico de Construção (CSTB), na França, que lideram o estudo sobre o impacto do uso massivo do ar-condicionado.

Neste ponto, os autores usam justamente os equipamentos de ar-condicionado como um exemplo de estratégia de resfriamento polêmica por dois motivos principais . "Em primeiro lugar, a demanda de energia associada [aos equipamentos] pode ser grande [demais]. Em segundo lugar, se os sistemas de ar-condicionado liberam calor para a rua, como acontece com mais frequência, o ar externo é aquecido e a onda de calor piora", afirmam os pesquisadores.

Além do aquecimento das cidades, os autores alertam para a questão da desigualdade social durante as ondas de calor. "Embora seja uma solução eficiente para as famílias que podem pagar, o ar-condicionado piora a situação para as famílias que não podem [por questões financeiras] ou que não querem adotá-la", pontuam. Isso porque, sem essa estratégia, serão eles a sofrer com as cidades ainda mais quentes durante um episódio de onda de calor. Em casos extremos, o calor provoca complicações de saúde e pode até matar.

Continua após a publicidade

Entenda a origem dos dados sobre o impacto do ar-condicionado

Para chegar a essas previsões, os pesquisadores franceses modelaram as suas previsões a partir da onda de calor mais mortal registrada no país, em 2003, quando mais de 14 mil pessoas morreram em decorrência das altas temperaturas.

Segundo os autores, se as pessoas usassem massivamente os equipamentos de ar-condicionado para manter os espaços internos a uma temperatura de 23 ºC pelo período em que a onda de calor afetou o país — algo próximo de nove dias —, as temperaturas externas na cidade aumentariam em até 2,4 °C.

É preciso aumentar a eficiência do ar-condicionado

Continua após a publicidade

Em outro estudo, publicado na revista Earth's Future, pesquisadores da Universidade de Maryland apontam para a necessidade dos aparelhos de ar-condicionado aumentarem o nível de eficiência em pelo menos 8%.

Segundo os autores, a tendência dos Estados Unidos é que, cada vez mais, pessoas usem o ar-condicionado, considerando o fato de que as ondas de calor estão se tornando mais comuns. Apesar disso, o impacto desse uso massivo de energia para refrigeração em momentos específicos não é incluído nas previsões de gastos das redes de fornecimento de energia.

Se a situação não mudar, o país sofrerá com falta de fornecimento de energia elétrica ou mesmo com apagões durante os picos de calor."Para compensar esta procura induzida pelo clima, é necessário um aumento na eficiência dos aparelhos de ar-condicionado em até 8% em comparação com os níveis atuais", afirmam os autores.

Continua após a publicidade

Como reduzir o impacto do ar-condicionado na temperatura?

Para reduzir o impacto do ar-condicionado nas cidades e as questões das ondas de calor, não existem respostas simples. É necessária a adoção de um conjunto de medidas para atenuar o calor provocado por esses fenômenos, como prédios mais inteligentes — que consideram a questão térmica na hora da construção ou de reformas —, construção de parques urbanos e cultivo de árvores nas ruas. Em outra ponta, a redução na emissão de gases poluentes é fundamental.

Individualmente, as pessoas podem considerar o uso do ar-condicionado de modo que a temperatura interna não fique excessivamente fria, o que reduz o impacto do aquecimento externo e das cidades.

Fonte: Environmental Research Letters, Earth's Future e EuroNews