Água engarrafada ou água da torneira: qual é melhor para o meio ambiente?

Água engarrafada ou água da torneira: qual é melhor para o meio ambiente?

Por Wyllian Torres | Editado por Patrícia Gnipper | 02 de Agosto de 2021 às 16h31
Envato/stevanovicigor

Não existe consumo sem impacto ambiental — e não seria diferente com a água que consumimos em garrafa. Em um novo estudo, pesquisadores tentaram descobrir quanta diferença existe entre os impactos causados pelo consumo da água engarrafada a e a consumida diretamente na torneira, descobrindo que a diferença é bem maior do que se pensava.

A equipe de pesquisadores selecionou Barcelona, na Espanha, como um caso de teste. De 1,35 milhão de pessoas que residem lá, cerca de 58% consomem água engarrafada com alguma frequência. O novo estudo avaliou qual seria o impacto se todos na cidade resolvessem consumir água em garrafa. Em termos financeiros, custaria um total de US$ 83,9 milhões a mais por ano, além de provocar a perda de milhares de espécies animais, em média, devido ao processamento das matérias-primas necessárias.

(Imagem: Reprodução/Villanueva et al.)

A pesquisa também observou que haveria cerca de 1.400 vezes mais impacto sobre os ecossistemas e 3.500 vezes mais custo em relação aos recursos, em relação a uma cidade que adotasse o consumo de água encanada e nada mais. "O maior impacto ambiental da água engarrafada foi atribuído à alta entrada de materiais (ou seja, embalagem) e energia necessária para a produção de água engarrafada em comparação com a água da torneira", relatam os autores.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

Estes números são baseados na Avaliação do Ciclo de Vida (LCA, na sigla em inglês), já adotada por cientistas, que avalia a carga ambiental de um produto em toda a sua vida — da extração da matéria-prima ao descarte final. No entanto, neste estudo, a equipe combinou a LCA com uma avaliação semelhante, chamada Avaliação de Impacto na Saúde (HIA, na sigla em inglês), com o objetivo de estimar como cada tipo de consumo afeta a saúde. Apesar de o seno comum considerar a água de torneira e engarrafada igualmente seguras para consumo, a que vem de encanamentos pode conter produtos químicos, como o trialometano — associado ao câncer de bexiga.

(Imagem: Reprodução/Unplash/Jonathan Chng)

Cristina Villanueva, principal autora do artigo e epidemiologista ambiental do Instituto de Saúde Global de Barcelona (ISGlobal, na sigla em inglês), explica que a qualidade da água encanada em Barcelona aumentou substancialmente desde a incorporação de tratamentos avançados nos últimos anos. "No entanto, esta melhoria considerável não foi refletida por um aumento no consumo de água encanada, o que sugere que o consumo de água pode ser motivado por fatores subjetivos diferentes da qualidade", acrescenta Villanueva.

De modo geral, o consumo de água engarrafada está aumentando, por isso é necessário que todos estejam por dentro das consequências ambientais relacionadas a isto — não apenas a produção de mais plástico, mas, principalmente, seu descarte. "Nossos resultados mostram que, considerando os efeitos ambientais e de saúde, a água da torneira é uma opção melhor do que a água engarrafada — pois esta gera uma gama maior de impactos", explica a epidemiologista Cathryn Tonne, co-autora do estudo publicado na Science of the Total Environment.

É seguro beber água da torneira no Brasil?

Em tese, é seguro, mas, quando se trata de Brasil, nem sempre a resposta é simples. Isso porque, sendo um país tão grande, a qualidade e a disponibilidade da água variam muito de acordo com cada região. Cada estado possui um órgão responsável pelo planejamento e execução dos serviços de saneamento, que inclui a distribuição da água, além do tratamento de esgotos.

(Imagem: Reprodução/Unplash/Ivan Bandura)

Estes órgãos fazem parte do Sistema Nacional de Gerenciamento de Recursos Hídricos (SINGREGH), responsável por delinear e implementar a Política Nacional dos Recursos Hídricos. A ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) é quem estabelece as regras, enquanto a ANA (Agência Nacional de Águas e Saneamento Básico) atua como agência reguladora por fazer cumprir os objetivos da Lei das Águas no Brasil, mas, de modo geral, a qualidade e o acesso à água vai depender do gerenciamento local.

Por exemplo, na cidade de São Paulo, a água é fornecida pela Sabesp (Companhia de Saneamento Básico do Estado de SP), a qual garante que a água pode, sim, ser consumida diretamente da torneira. “A água fornecida pelas concessionárias de água segue as normas do Ministério da Saúde e é potável, com qualidade garantida”, segundo nota oficial da companhia. No entanto, é imprescindível que os locais de armazenamento da água, como cisternas, caixas d’águas e até mesmo os canos das casas, mantenham-se limpos para evitar uma eventual contaminação.

Como regra geral, a água própria para consumo deve apresentar três características: sem cheiro, sem cor e sem sabor. Caso a água não apesente um destes adjetivos, ela pode estar contaminada. Uma alternativa para garantir a segurança de se beber água da torneira é a instalação de um filtro que remova qualquer resíduo, microorganismos e até mesmo o excesso de cloro. Existem diversos modelos no mercado, para todos os bolsos — sua saúde e o meio ambiente agradecem.

Fonte: ScienceAlert, Cleanipedia, Sabesp

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.