Máquina que transforma esgoto em água potável está em testes na África

Por Redação | 12 de Agosto de 2015 às 10h24
photo_camera Divulgação

Em janeiro deste ano, Bill Gates apareceu em um vídeo bebendo um copo de água que, cinco minutos antes, era completamente inadequada para o consumo humano. O líquido contaminado com dejetos humanos foi transformado em água potável graças a um tratamento sanitário de baixo custo que acabou de chegar à África em caráter de teste.

A máquina "milagrosa", chamada OmniProcessor, foi desenhada pela Janicki Bioenergy e contou com recursos da Fundação Bill & Melinda Gates para sua construção. Com o objetivo principal de prevenir doenças causadas pelo consumo de água contaminada em países de baixa renda, o tratamento foi testado com sucesso em terreno norte-americano e agora poderá levar água limpa para milhares de habitantes do continente africano.

Bill Gates bebendo água da OmniProcessor

Cena do vídeo que mostra o fundador da Microsoft bebendo água limpa extraída do esgoto (Reprodução: YouTube/The Gates Notes)

O equipamento aquece o excremento da água a uma temperatura de 1.000ºC para extrair o líquido, que é submetido a tratamentos especiais antes de se tornar potável. Enquanto isso, os dejetos desidratados podem produzir calor suficiente para gerar energia elétrica ao passarem por um processo de combustão. De acordo com a fundação de Gates, o OmniProcessor pode processar dejetos de até 100 mil pessoas e produzir cerca de 85 mil litros de água potável por dia, além de gerar 250 kW de eletricidade.

OmniProcessor

Instalação da OmniProcessor (Reprodução: TheGatesNotes)

Em seu blog, o empresário e filantropo contou que "é preciso encontrar o pessoal adequado para operar a máquina, sendo necessário trabalhar com governos locais e nacionais para atingir o público". Na mesma publicação, Bill antecipou que "a próxima versão da máquina queimará a maior parte dos resíduos humanos e terá uma manutenção mais fácil" em relação a primeira construção do aparelho nos Estados Unidos.

Atualmente, pelo menos 2 bilhões de pessoas ainda vivem em condições sanitárias inadequadas, situação que causa cerca de 700 mil mortes infantis por ano em todo o mundo. Somente na cidade de Dakar, no Senegal, 1,2 milhão de pessoas não contam com esgoto tratado e a sujeira a céu aberto acaba sendo removida pelos próprios moradores, que usam baldes para realizar a limpeza manualmente. O projeto da OmniProcessor traz esperança a este e outros locais com condições similares, sendo uma potencial solução para a subdesenvolvida questão sanitária em países mais pobres.

Quer saber mais? Confira o vídeo em que Bill Gates traz informações fresquinhas sobre o OmniProcessor e sua instalação no continente africano:

Fonte: The Gates Notes

Siga o Canaltech no Twitter!

Não perca nenhuma novidade do mundo da tecnologia.