Como a tecnologia pode contribuir com o planeta

Por Loren Monteiro | 21 de Julho de 2021 às 10h00
Smart Manufacturing Hub

Nos últimos meses, um dos principais assuntos globais e que mais aquecem o mercado diz respeito às práticas de ESG por parte das companhias, um diferencial que ganhou destaque, inclusive, nas rodadas de investimentos. 

O Dia Mundial do Meio Ambiente, celebrado em junho, teve como mote este ano o tema "Reimagine. Recrie. Restaure", propondo uma série de medidas que visam a recuperação do planeta. E um dos grandes alertas foi com relação à urgência na redução da emissão de CO2 que, apesar da pandemia (que significou menos pessoas utilizando veículos, por exemplo), registrou um recorde nunca visto desde que cientistas começaram a fazer medições atmosféricas há 60 anos: em maio, a quantidade de dióxido de carbono acumulado chegou a 419 partes por milhão, 50% a mais do que no início da revolução industrial.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

Vejo a inovação como uma grande aliada quando se trata de impacto ambiental. Por aqui, pensamos recentemente em uma solução que mostra os impactos positivos que uma pedalada pode gerar. Lançamos uma funcionalidade no app do Tembici que resume a viagem de bike, mostrando a quantidade de CO2 economizada, além do tempo e da perda de calorias. Quando o usuário pedala e consegue ver claramente o impacto que ele tem no mundo, gera uma conscientização imediata. Ele também pode compartilhar em suas redes sociais, e trazer essa informação para ainda mais pessoas. É aí que temos uma relação direta da tecnologia com a sustentabilidade.

Somente em 2020, registramos mais de 4 mil toneladas de CO2 economizados com a bike, que, se emitidas, tornaria necessário o plantio de aproximadamente 30 mil árvores. Ou seja, o sistema de bicicletas compartilhadas é sustentável, econômico e, sim, tecnológico. 

Sabemos que, hoje, os resultados são expressivos, mas não queremos parar por aqui. Por isso, anunciamos recentemente o compromisso de implementar pelo menos mais 10 mil bikes compartilhadas em nossos sistemas até o fim de 2022 e inserimos mais de mil bikes elétricas no sistema nos últimos meses, fruto do investimento em tecnologia e no fomento de novos atores nesse setor de micromobilidade. 

Acreditamos muito no alcance de uma pessoa por vez e assim como as nossas práticas, muitas empresas estão olhando de forma criteriosa para essa agenda. Mas muito além de mostrar o que é possível e está sendo feito, é preciso o envolvimento de todos e isso só será possível se continuarmos a utilizar as inovações a nosso favor. 

Com a evolução da sociedade e o fomento a práticas sustentáveis, o desenvolvimento da micromobilidade segue como grande diferencial para sociedade que se importa com a preservação do meio-ambiente e que pensa no futuro da população. E a tecnologia será fundamental para alcançarmos esses objetivos.

*Artigo produzido por colunista com exclusividade ao Canaltech. O texto pode conter opiniões e análises que não necessariamente refletem a visão do Canaltech sobre o assunto.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.