Publicidade
Economize: canal oficial do CT Ofertas no WhatsApp Entrar

YouTube começa a proibir bloqueador de anúncios

Por| Editado por Douglas Ciriaco | 11 de Maio de 2023 às 12h07

Link copiado!

Montagem: Caio Carvalho/Canaltech
Montagem: Caio Carvalho/Canaltech
Tudo sobre YouTube

O YouTube começou a restringir o acesso ao site por quem usa bloqueadores de anúncios. No Reddit, um usuário relatou a presençã de uma tela de aviso que impede a execução dos vídeos quando uma ferramenta de adblock é detectada.

O alerta traz um título grande em negrito sobre a proibição do uso de bloqueadores de anúncios no YouTube. A mensagem oferece um botão “Permitir anúncios do YouTube” e outro “Testar YouTube Premium” para o usuário escolher a opção mais conveniente.

Continua após a publicidade

Ao clicar no botão de permitir anúncios, o software de bloqueio simplesmente para de executar a sua função. Não está claro se a desativação é permanente ou se o processo precisa ser repetido a cada acesso no YouTube.

O experimento é para incentivar a assinatura do serviço Premium, que acumulou 80 milhões de usuários em 2022. Agora, o Google pretende expandir isso ainda mais forçando pessoas a pagar para assistir a um vídeo inteiro sem ter 4 ou 5 anúncios no meio da experiência.

Assine o Premium ou veja anúncios

Segundo a plataforma de vídeos, os anúncios são necessários para manter o serviço gratuito para bilhões de usuários do mundo inteiro. A confirmação oficial do teste foi enviada a moderadores do subreddit do YouTube.

A tela de bloqueio a usuários com adblock ainda parece estar em fase inicial, pois há relato de somente uma pessoa com dificuldade. Mesmo assim, é um indício de que o YouTube pode ter refinado seu algoritmo para detectar softwares de terceiros, algo que poderia impactar muito mais gente no futuro.

A batalha do Google contra os bloqueadores de anúncios é antiga. Desde 2016, a empresa bane apps que impedem a reprodução de propagandas no YouTube. Para burlar o bloqueio, desenvolvedores passaram a criar extensões para o Chrome, o que também já está em fase de provável extinção.

O próprio YouTube testa maneiras alternativas de apresentar anúncios que não pudessem ser contidos por bloqueadores ou pulados antes da reprodução. Em março do ano passado, o YouTube Vanced, popular app que bloqueava anúncios incorporados, foi descontinuado por "questões legais”.

Vale a pena assinar o YouTube Premium?

Continua após a publicidade

O YouTube Premium custa R$ 20,90 por mês e dá direito a acesso a conteúdos offline, sem anúncios e em segundo plano. Os assinantes também podem usar o YouTube Music para escutar suas músicas e podcasts sem anúncios.

A plataforma investe no desenvolvimento de recursos adicionais para convencer as pessoas a pagar pela assinatura premium. No mês passado, lançou a opção "1080p Premium", que eleva a qualidade do bitrate para proporcionar uma melhor reprodução, para os pagantes.

No ano passado, testou a inserção de um paywall em vídeos para limitar a resolução 4K apenas ao Premium. Após muita reclamação nas redes sociais, o perfil oficial anunciou o fim do experimento e liberou novamente o formato para todos.

ATUALIZAÇÃO 13/05/2023: Em resposta ao questionamento do Canaltech, o YouTube Brasil enviou a seguinte nota:

Continua após a publicidade

“Estamos realizando globalmente um pequeno experimento visando incentivar usuários que tenham bloqueadores de anúncios a permiti-los no YouTube ou experimentar o YouTube Premium. Ressaltamos que esse tipo de detecção não é algo novo, muitos players desse mercado solicitam regularmente que seus espectadores desativem bloqueadores de anúncios."