Saiba tudo sobre a dark web com este guia para iniciantes

Por Patrícia Gnipper | 31.07.2017 às 07:48

Quer dizer, não exatamente tudo, mas, com este guia, você aprenderá o que é a dark web, para que ela serve e como começar a acessar o conteúdo que não aparece nos resultados de busca do Google.

É isso mesmo: o que acontece na dark web, fica na dark web. Ela se chama “dark” justamente por ser uma área obscura da internet, recheada de páginas de conteúdo controverso e, muitas vezes, ilegal. Mas a existência da dark web não infringe nenhuma lei, então se você ficou curioso e pretende dar uma passeada pelos sites de lá, fique tranquilo que não estará cometendo nenhum crime.

Mas o que é a tal dark web?

A internet convencional, que aparece nos resultados de busca de serviços como Google e Bing, representa apenas a superfície de tudo o que existe na rede. Abaixo dessa crosta virtual existe todo um outro mundo de possibilidades, que se divide entre a deep web e a dark web.

Um site “dark” é qualquer um hospedado em servidores inalcançáveis na rede convencional, porque exigem o uso de softwares, configurações e autorizações especiais para o acesso. Ela faz parte da deep web, que abriga sites que não são indexados pelos mecanismos de busca. Mas, no caso da dark web, esses sites não podem acessados pelos meios convencionais (ou seja, digitando a URL do site em seu navegador, ou usando ferramentas de busca).

Portanto, para acessar a dark web, você precisa utilizar programas de P2P (peer-to-peer), como as populares redes Tor, I2P e Freenet, por exemplo, que são operadas por indivíduos ou organizações públicas — diferentemente do Google, que é um serviço de uma empresa privada.

Como acessar a dark web?

Ao tentar digitar a URL ou endereço de IP de uma página da deep web em seu navegador, você provavelmente se deparará com uma tela pedindo login e senha. Isso porque esses sites são criados intencionalmente para não serem acessados pela internet comum, somente conseguindo fazê-lo quem estiver em posse dessas credenciais. Já no caso de páginas da dark web, isso não acontece, já que o acesso a elas se dá somente por meio de softwares como o Tor.

Na dark web, o anonimato é o grande atrativo. Por conta disso, ao acessá-la, você acabará tendo acesso a atividades ilegais sendo promovidas por lá, como venda de drogas e armas de fogo, venda de dados roubados e outras coisas do tipo. Mas também há muita coisa interessante: foi justamente na dark web que Edward Snowden expôs informações confidenciais do governo dos Estados Unidos que acabaram rodando o mundo.

Mas, vamos lá: como acessar a dark web? Primeiro, você precisa fazer o download de um programa o Tor Browser, que permite acessar páginas cuja extensão seja “.onion”, disponíveis exclusivamente na dark web.

Tor Browser, o navegador anônimo (Imagem: Divulgação)

Com o Tor, você também acessa a internet tradicional, mas com a vantagem de uma navegação anônima. Depois de instalá-lo em seu computador (que pode ser Windows, macOS ou Linux), você precisa encontrar um diretório de sites, mais ou menos como se você estivesse vivendo na década de 1990, antes do surgimento dos mecanismos de busca.

No Tor, o diretório mais conhecido é a Hidden Wiki, cujo link para acesso é este aqui ou este aqui. Ali, uma série de links levam o usuário para sites, fóruns, blogs e outros tipos de páginas escondidas na internet. Existem outros diretórios, e você consegue descobri-los tanto “fuçando” a rede pelo Tor quanto pesquisando pelo Google mesmo. Muitas páginas da internet comum fornecem os links desses diretórios para que sejam acessados pelo Tor.

Hidden Wiki, o diretório de sites mais conhecido da dark web (Imagem: Divulgação)

Mas, a atenção à segurança é importante: como a rede ali não é censurada, existe de tudo um pouco. E, por isso, governos de todo o mundo conseguem monitorar o Tor para realizar investigações criminais e derrubar sites que oferecem atividades ilegais. Portanto, você é o único responsável pelo que fizer na dark web. Se você ficar tentado em comprar alguma coisa ilegal por lá, saiba que, a qualquer momento, você pode ser investigado.

E, além disso, sabe aquelas tradicionais recomendações de segurança que sempre damos para quando estiver acessando a internet? Todas elas também valem para a dark web, que pode estar recheada de malwares e vulnerabilidades de segurança escondidos em sites. Portanto, se você for apenas um curioso se aventurando no universo da internet obscura, pode ser interessante criar uma máquina virtual para o acesso, ou, ainda, utilizar um computador diferente daquele que você usa em seu dia a dia.