Publicidade

ChatGPT: mitos e verdades sobre o impacto da ferramenta na educação

Por| Editado por Claudio Yuge | 30 de Março de 2023 às 18h20

Link copiado!

Reprodução/Julia M Cameron/Pexels
Reprodução/Julia M Cameron/Pexels

Desde o seu lançamento em novembro do ano passado, o ChatGPT têm sido motivo de diversos questionamentos sobre a sua repercussão no cotidiano das pessoas — desde o impacto em seus empregos até o ensino nas escolas. A ferramenta já conta com mais de 100 milhões de usuários ativos.

A ChatClass é uma edtech que oferece tecnologia de IA para capacitação, ensino de inglês e experiências conversacionais via chatbot. O CEO e fundador da empresa, Jan Krutzinna, afirma que a IA é um ganho para a sociedade, principalmente no âmbito educacional e veio para agregar ainda mais no processo de ensino.

“A IA pode ampliar o conhecimento do professor, dar suporte no preparo das aulas e auxiliar na prática dos alunos. Ela expande as possibilidades para todos”, explica o CEO.
Continua após a publicidade

O executivo listou seis mitos e verdades sobre o assunto para desmistificar a aplicação do ChatGPT, confira abaixo.

Mitos sobre o ChatGPT na Educação

O ChatGPT pode substituir o professor, de forma gradual

Segundo Krutzinna, a afirmação é um mito, visto que existem características dos professores que não podem ser substituídas pelas máquinas, como motivação e empatia. O ChatGPT, porém, pode ser uma ferramenta aliada para que os alunos compreendam melhor os conteúdos, através de feedbacks interativos e explicações personalizadas.

O Canaltech está no WhatsApp!Entre no canal e acompanhe notícias e dicas de tecnologia

Além de fornecer recursos, como links para materiais de estudo, tutoriais e outras informações, a ferramenta pode executar tarefas burocráticas e repetitivas, como chamada, corrigir exercícios e planejar aulas.

O ensino pode ser totalmente automatizado

O executivo afirma que o ensino jamais deve ser totalmente automatizado, visto que professores e educadores atuam como facilitadores do aprendizado. Portanto, a sentença também refere-se a um mito. A IA pode ser usada para ajudar na personalização do ensino, na entrega do conteúdo e na criação de abordagens inovadoras.

O ChatGPT é negativo para a educação

Continua após a publicidade

Apesar de muitos acharem que o ChatGPT pode facilitar o plágio e atrapalhar os estudos dos alunos, o CEO da ChatClass afirma que isso é um mito. O executivo ainda reforça que entende a importância de encontrar novas maneiras de avaliar os alunos, visto que a ferramenta está disponível para todos:

"Ninguém destruiu a calculadora porque ela foi inventada, arrumou-se um jeito de testar o conhecimento dos alunos considerando que existe uma ferramenta tão boa para fazer contas. O ChatGPT pode ajudar os alunos a aprender e a aprimorar suas habilidades de pensamento crítico".

Verdades sobre o ChatGPT na Educação

Continua após a publicidade

A IA traz funcionalidades que agilizam o ensino

A ferramenta facilita a vida do professor automatizando tarefas como feedback, tutoria individual, criação de planos de aulas e materiais educativos, transcrição de palestras, resumo de textos, entre outras funções. Portanto, o executivo afirma que a sentença é verdade.

O ChatGPT incentiva a linguagem mais natural dos chatbots

O ChatGPT utiliza linguagem baseada em deep learning, inteligência artificial e machine learning para gerar respostas mais precisas e relevantes — evoluindo a experiência de conversação dos chatbots. Portanto, a afirmativa é verdadeira.

Continua após a publicidade

"Com o ChatGPT, a expectativa é de grande avanço na naturalização na linguagem dos robôs. Não há volta, caminhamos cada vez mais para criar robôs que conversam com as pessoas exatamente como nós conversamos", afirma o executivo.

O ChatGPT não é uma ameaça ao mercado de chatbots de educação

Para Krutizinna, a sentença é verdade. Ele afirma que o ChatGPT é um grande passo para o desenvolvimento da IA por ter liberado ao mundo um bot conversacional bastante avançado, tanto em termos de linguagem como de filtragem de informações.

"Com a liberação de sua API, ele permite que se crie um ecossistema de IA a partir de sua tecnologia. Ao invés de competir com outros chatbots de educação, o ChatGPT os complementa, oferecendo aos educadores ferramentas para criar chatbots mais avançados", conclui.

Continua após a publicidade

O ChatGPT vai deixar os alunos menos inteligentes?

Por fim, o famoso youtuber e CEO do Aprova Total, professor Paulo Jubilut, afirma que a crença de que as pessoas podem ficar mais estúpidas com o uso de algumas tecnologias, como o ChatGPT, é falsa. Especialistas em educação apontam os benefícios da ferramenta para otimizar e personalizar a jornada de aprendizagem.

"O ChatGPT é uma ferramenta que permite que os estudantes obtenham respostas rápidas e precisas, economizando tempo e permitindo que se dediquem mais a aprofundar seus conhecimentos", afirma. "Mas é importante lembrar que o ChatGPT não substitui o professor. É preciso ensinar aos estudantes a fazer boas perguntas para obterem boas respostas."

O educador ainda ressalta a importância de manter um olhar crítico sobre as informações obtidas através do bot, que já foi pego compartilhando informações incorretas. Por fim, Jubilut destaca que a ferramenta pode ser importante para personalizar o aprendizado, oferecendo recursos de acordo com o perfil de cada estudante — sempre tendo cuidado para não perder de vista a importância do contato humano.