Projeto Loon completa 1 milhão de horas em atividade

Por Redação | 24 de Julho de 2019 às 15h30
Google
Tudo sobre

Alphabet

Saiba tudo sobre Alphabet

Ver mais

O objetivo da Google para enviar internet a locais remotos do globo está tendo sucesso, com resultados ocorrendo a todo vapor. Ao todo, os balões que fazem parte do Projeto Loon atingiram, juntos, 1 milhão de horas em atividade, o que corresponde a 40 milhões de quilômetros percorridos. Isso foi anunciado na última terça-feira (23) pela própria empresa responsável, a Alphabet (o conglomerado que abrange a Google e outras companhias vinculadas).

Foi em 2013, por meio de seu blog oficial, que a Google anunciou o início dos testes referentes ao Projeto Loon, e os primeiros balões foram lançados na Nova Zelândia. A proposta era fornecer conexão 3G para áreas rurais e remotas, ou que foram afetadas por algum desastre natural. "Acreditamos que pode ser realmente possível construir um anel de balões, voando ao redor do mundo nos ventos estratosféricos, fornecendo acesso à internet para a Terra. Ainda é muito cedo, mas nós construímos um sistema que usa balões transportados pelo vento a altitudes duas vezes maiores do que os aviões comerciais para fornecer acesso à internet em terra firme com velocidades semelhantes ao 3G atual ou mais rápidas", afirmou a empresa, nos primeiros passos do Loon.

Como funciona

Os balões do Projeto Loon são operados por uma bomba movida a energia solar, e flutuam nos ventos a altitudes que vão de 15 mil a 21 mil metros. Por sua vez, o software de automação é responsável por coletar dados de previsão de vento, construir mapas para onde as viagens devem ser realizadas e, em seguida, processar a observação de cada balão para que as alterações possam ser feitas a fim de seguir à risca esse mapa. De acordo com o chefe de engenharia Salvatore Candido, em entrevista à CNET, é o software em questão que direciona os movimentos do balão, não a equipe de engenheiros que o monitora 24 horas por dia.

Candido afirma ainda que a primeira vez em que viu um balão decidindo ir para um lado diferente da escolha que seria tomada por um ser humano, ele precisou "encarar por um tempo a estratégia que o algoritmo estava tentando executar" antes de perceber que ele tinha sido enganado pelo software: "O primeiro balão autorizado a executar totalmente esta técnica estabeleceu um recorde de tempo de vôo de Porto Rico para o Peru. Eu nunca me senti tão esperto e tão idiota ao mesmo tempo", relembra o chefe de engenharia. É válido ressaltar também que os balões do Projeto Loon escolhem quando vão ficar mais tempo em uma área para esperar que os ventos mudem.

Além de Porto Rico, conforme lembrou o chefe de engenharia, os balões do projeto já levaram conexão móvel a vários lugares diferentes pelo mundo, como a área amazônica do Peru ou a cidade de Fresno, na Califórnia.

Fonte: Cnet

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.