AMD Ryzen 6000 pode trazer GPU RDNA 2 mais de 100% melhor que Vega 8

AMD Ryzen 6000 pode trazer GPU RDNA 2 mais de 100% melhor que Vega 8

Por Renan da Silva Dores | Editado por Wallace Moté | 08 de Dezembro de 2021 às 08h54
AMD

Novos rumores divulgados pelo leaker @9550Pro indicam que a família AMD Ryzen 6000 "Rembrandt" pode dobrar o desempenho gráfico oferecido pelos antecessores Ryzen 5000. As novidades poderiam ainda entregar performance competitiva com placas de vídeo dedicadas bem estabelecidas no segmento de entrada, superando com certa margem a Nvidia GeForce GTX 1050 Ti, por exemplo.

Ryzen 6000 pode trazer GPU duas vezes melhor que Vega 8

Apesar de não citar diretamente os chips da AMD, @9550Pro divulgou um suposto resultado do popular benchmark 3DMark TimeSpy junto a um retrato do pintor holandês Rembrandt, em referência ao codinome da família Ryzen 6000, cujo maior destaque é a adoção da microarquitetura RDNA 2 nas iGPUs. O componente em questão teria atingido os 2.700 pontos, números bastante elevados para gráficos integrados.

Em comparação, uma GTX 1050 Ti consegue entregar uma média de 2.500 pontos, o que dá vantagem de cerca de 10% para a nova GPU integrada da AMD. Mais impressionante é o comparativo com os gráficos integrados da família Ryzen 5000, ainda baseados na antiga microarquitetura Vega: equipados com uma Vega 8, de 8 Unidades Computacionais, os chips conseguem atingir médias de 1.200 pontos.

Isso caracteriza um ganho aproximado de 125% para os novos gráficos RDNA 2, salto exponencial que deve se traduzir melhor na prática. Também vale lembrar que os números são preliminares e, com otimizações, podem ser ainda melhores no lançamento.

Linha Ryzen "Rembrandt" pode estrear em janeiro

Segundo vazamentos, a família Ryzen 6000 Rembrandt deve trazer upgrades relativamente modestos, mas muito bem-vindos, em comparação aos chips Ryzen 5000 Cezanne. As CPUs adotariam uma versão turbinada da microarquitetura Zen 3, a Zen 3+, e agora seriam fabricadas na litografia de 6 nm, ganhando singelas melhorias em eficiência energética.

As novas APUs Ryzen 6000 podem estrear em janeiro com núcleos Zen 3+, suporte a RAM DDR5 e GPUs RDNA 2 (Imagem: Reprodução/AMD)

O maior destaque seria o upgrade nos gráficos integrados, que passariam a empregar a microarquitetura RDNA 2 presente nas placas de vídeo Radeon RX 6000 e nos consoles da atual geração. A linha também seria a primeira da marca a ser compatível com memórias DDR5, em preparação aos processadores Ryzen 7000 Raphael, aguardados para o final de 2022.

Tudo indica que os chips Ryzen 6000 devem ter mais detalhes revelados já em janeiro, durante a conferência da AMD na CES 2022, marcada para o dia 4.

Fonte: WCCFTech

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.