Último high-end da geração 32-bit, Qualcomm apresenta Snapdragon 805 no Brasil

Por Rafael Romer | 29.07.2014 às 18:50 - atualizado em 29.07.2014 às 21:03

A Qualcomm promoveu nesta quarta-feira (29) a primeira apresentação do seu novo SoC (System on a Chip) Snapdragon 805 à imprensa brasileira, quando detalhou as novas configurações do processador e realizou demonstrações com as principais funções do produto.

Apresentado em novembro do ano passado, o Snapdragon 805 é considerado por muitos um processador high-end de transição, o último chip Qualcomm da era de 32-bit ARMv7, que migrará para a era 64-bit já na próxima edição da série 800.

Atualmente, a arquitetura de 64-bit já está presente para o consumidor em dispositivos como o iPhone 5S, carregado com o chip A7 da Apple, baseado em ARMv8-A. Mas para conferir mais potência aos últimos dispositivos móveis top de linha 32-bit que devemos ver, a primeira novidade do 805 é a CPU Krait 450 de quatro núcleos. Um upgrade em relação à CPU Krait 400, presente no Snapdragon 801, a CPU teve a frequência aumentada e roda a 2,7 GHz, comparado a 2,5 GHz da geração anterior.

Snapdragon 805

Diretor de Tecnologia da Qualcomm, Roberto Medeiros, apresentou novidades do Snapdragon 805 nesta terça-feria (29) (Foto: Rafael Romer/Canaltech)

Na parte gráfica, a nova GPU Adreno 420, com suporte OpenGL ES 3.1, OpenCL 1.2 e Direct3D, promete exibição de 4,8 Gigapixel por segundo. Segundo a empresa, a GPU deve trazer até 40% de melhora de performance gráfica em relação à GPU Adreno 330, do Snapdragon 801. Para suportar a GPU, o chip também tem uma nova banda de memória duplo canal, que suporta 25,6 Gb de transmissão de dados por segundo de memória.

A GPU também traz algumas inovações gráficas, como a chamada "hardware tessellation", que permite maior detalhamento de polígonos em imagens e games a partir do hardware.

Como o Snapdragon 805 ainda não está disponível em dispositivos móveis comercializados fora da Coreia do Sul, a Qualcomm disponibilizou o tablet de teste Mobile Development Platform (MDP), com Android 4.4.2, para alguns testes de performance com o chip.

Snapdragon 805

Tablet para testes Mobile Development Platform (MDP) carregado com o Snapdragon 805 (Foto: Rafael Romer/Canaltech)

No dipositivo, o processador é consideravelmente mais rápido para abrir e fechar aplicativos, assim como para mudar entre apps abertos do background. Mas diferente do esperado, o benchmarking gráfico (3DMark Extreme) do tablet MDP mostrou resultados um pouco aquém do esperado, com um total de 18922 - pouco superior ao normalmente visto em outros tablets comerciais com o Snapdragon 801. No Geekbench, o resultado foi de 2892 pontos.

A empresa também promete que a GPU do chip consome até 20% menos energia do que a geração anterior, mas não pudemos fazer testes com o rendimento da bateria. Infelizmente, também não pudemos instalar aplicações no dispositivos e o tempo de teste não foi muito longo.

Funções e disponibilidade

Uma das opções embarcadas no Snapdragon 805, mas que ainda não é aproveitada por nenhum smartphone e tablet do mercado, é a integração para resolução Ultra HD (4K).

O chip é o primeiro da família a fazer decodificação H.265/HEVC (mas não encodificação), além de um dual Image Signal Processor (ISP) de 1.2 Gigapixels/s, que suporta gravação de vídeos 4K em 30 FPS. O chip também suporta até quatro câmeras, em um total de 55 Megapixels.

Snapdragon 805

Demonstração das capacidades de reprodução 4K do processador no tablet MDP (Foto: Rafael/Canaltech)

Na conectividade, o 805 suporta LTE (4G) Cat 6, com capacidade de transmissão de dados de até 300 Mbps. A capacidade é bem superior a grande parte das velocidades 4G disponíveis globalmente, mas deve ser sentida por usuários da Coreia do Sul, onde essa tecnologia é oferecida.

Na parte do áudio, o chip embarca uma tecnologia para ativação por voz quando o dispositivo está em stand by. Diferente de smartphones atuais, como o Nexus 5, que pode ser ativado só quando está em sua home screen, a tecnologia de voz presente no 805 é capaz de ativar o aparelho com a tela "dormindo". O chip ainda traz um sistema de cancelamento de ruído que permite deixar as ligações mais claras em ambientes barulhentos. Essas funções, no entanto, dependem apenas do fabricante do dispositivo para serem ativadas ou não.

Por enquanto, o Snapdragon 805 ainda só está disponível em dois smartphones, o Samsung Galaxy S5 e o LG G3, ambos nas versões atualizadas, comercializadas somente da Coreia do Sul. Mas com o anúncio oficial do chip, a expectativa é que mais dispositivos tragam o dispositivo e aproveitem suas novas funções ainda neste ano – a IFA 2014, aliás, está logo aí.

Para o ano que vem, a empresa já prometeu os chips de alta performance Snapdragon 808 e Snapdragon 810, que deverão evoluir para a era 64-bit, que, além de mais potência, devem ser reduzidos do atual tamanho de 28 nm para 20 nm.