Hackers estão abusando do interesse pelo Coronavírus para infectar computadores

Por Rafael Rodrigues da Silva | 30 de Janeiro de 2020 às 15h55

Enquanto o coronavírus está assustando as pessoas em todo o mundo, cibercriminosos estão aproveitando o interesse pelo tema para enganar as pessoas e infectar o computador delas com vírus.

De acordo com diversas empresas de segurança que monitoram a internet em busca do surgimento de novos vírus, foram detectadas novas campanhas de e-mails com mensagens infectadas nos últimos dias, e todas elas têm em comum o tema do Croronavírus como “gancho” para fazer as pessoas abrirem o e-mail.

A primeira dessas grandes campanhas foi detectada pela X-Force Threat Intelligence da IBM, e o e-mail se passava por uma notificação oficial enviada por centros de controle de doenças do Japão para notificar as pessoas sobre vários casos confirmados em grandes centros urbanos do país (como Gifu, Osaka e Tottori). Nos arquivos anexados na mensagem era, possível encontrar "mais detalhes" sobre esses casos e formas de se prevenir o contágio — só que, tudo fake. E aí, ao baixar e rodar os anexos, o computador do usuário então era infectado com um malware do tipo Emotet, que permite aos criminosos roubar todas as senhas cadastradas no computador, acessar o histórico de navegação e ter acesso irrestrito a todos os arquivos do computador.

Além desta campanha, outras também foram encontradas com o mesmo tipo de isca: um e-mail alertando sobre casos do coronavírus na região, e um arquivo disfarçado como documento do Word, documento PDF ou vídeo em mp4 prometia ensinar como se proteger do vírus. Em alguns casos, afirmava ensinar até mesmo como perceber se alguém estava ou não com a doença. Esses arquivos escondiam uma série de agentes maliciosos do tipo Cavalo de Troia e malwares capazes de modificar, copiar e destruir arquivos, ou até mesmo interferir no funcionamento do computador.

De acordo com Anton Ivanov, analista da Kaspersky, esse tipo de campanha não é uma exclusividade do Coronavírus, e acontece com qualquer assunto de interesse público, em que cibercriminosos se aproveitam do alto grau de interesse por determinado assunto para enganar as pessoas e infectar a maior quantidade possível de computadores. E, se o interesse pela doença não diminuir nas próximas semanas, o número de golpes do tipo só deverá aumentar.

Fonte: TechRadar

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.