Ranqueamos os melhores jogos do Batman

Ranqueamos os melhores jogos do Batman

Por Igor Pontes | Editado por Bruna Penilhas | 26 de Outubro de 2021 às 19h25
Imagem: Divulgação/Rocksteady

Batman: Arkham City completou 10 anos recentemente, em 18 de outubro. Para comemorar o aniversário deste icônico jogo do herói da DC Comics, o Canaltech selecionou os melhores games do Homem-Morcego. 

Apesar de ter alguns jogos em gerações passadas, as adaptações de Batman que realmente merecem destaque são as da franquia Arkham. Aliando um combate inovador com seu sistema de contragolpe e não deixando de lado a parte detetive do Homem-Morcego, os games da Rocksteady são a síntese do que faz o vigilante de Gotham ser um dos maiores heróis da DC Comics. 

5. Batman: The Telltale Series e Batman: The Enemy Within

Imagem: Divulgação/Telltale

O primeiro jogo da Telltale baseado nas aventuras do Batman consegue captar de forma satisfatória as relações entre o vigilante de Gotham e os personagens ao seu redor. Apesar de alguns problemas que a saudosa Telltale passava com seu sistema de escolhas há algum tempo, a ideia de conseguir não só jogar como Batman, mas como Bruce Wayne, e usar a influência do homem mais rico da cidade, é algo que outros jogos do herói não chegaram a executar. E nisso, a Telltale acerta ao dar tempo de tela para o homem por trás do manto.

A trama dos Wayne serem corruptos não é nada novo, com algumas histórias já abordando essa vertente da família mais poderosa de Gotham, mas a narrativa de Lady Arkham oferece uma abordagem diferente sobre o assunto, além de uma virada interessante para a personagem. Vale destacar também a introdução, apesar de não muito sutil, do Coringa à história do jogo. Na sequência, o Palhaço do Crime acaba se tornando o grande vilão da história. 

O principal problema em The Enemy Within é que, enquanto o primeiro jogo acerta na quantidade de tempo que você joga como Bruce Wayne, a sequência dá uma ênfase exagerada no alter-ego do Homem-Morcego. A trama coloca as duas facetas do herói para trabalhar com Amanda Waller, que faz parte de um órgão do governo chamado "The Agency". Isso faz com que o homem mais rico de Gotham tenha que se envolver em uma trama que vai contra tudo o que o personagem acredita. Tudo isso seria legal, mas se fosse vivido por ele como Batman. O jogo também foca na relação construída brevemente entre Bruce Wayne e o Coringa, que ainda não se tornou o Palhaço do Crime. Apesar de ser uma ideia que na concepção possa parecer curiosa, as interações entre os dois são fracas. No fim, fica a menção honrosa aos jogos da Telltale. 

4. Batman: Arkham Origins

Imagem: Divulgação/WB Montreal

Arkham Origins é um jogo que não teve tanto impacto quanto os principais da franquia, mas pelo menos é divertido. Com o Máscara Negra como o principal vilão, a trama gira em torno de um Batman no começo de carreira, desafiado a sobreviver durante a época do Natal contra oito assassinos. Bane, Pistoleiro, Copperhead, Lady Shiva, Vaga-lume, Exterminador, Eletrocutor e Crocodilo são os mercenários atrás da recompensa colocada para quem matar o Homem-Morcego. 

No jogo, a Velha Gotham está presente e possui as características de uma cidade em decadência, possibilitando o cenário de se tornar, no futuro, Arkham City. Em questão de gameplay, o jogo mantém o combate inovador da franquia, adicionando o aspecto de detetive que dá a opção do jogador investigar e criar as cenas do crime para entender o que aconteceu no local. O jogo pode não ser o mais inovador da franquia Arkham, mas cumpre o seu papel. 

3. Batman: Arkham Knight

Imagem: Divulgação/Rocksteady

O terceiro jogo da franquia Arkham é mais revolucionário. Colocando o jogador para explorar toda Gotham e usando o Batmóvel durante sua locomoção ajuda na imersão do jogador em se sentir na pele do Homem-Morcego. Apesar disso, o jogo tem alguns pontos de divergência, como o Batmóvel ser usado em excesso e também o “mistério” do Arkham Knight, que acabou sendo um personagem bem conhecido dos fãs e não algo inédito. No fim, o título tenta encaixar elementos demais ao projetar uma trama mirabolante envolvendo toda a cidade ser levada ao caos graças ao veneno do Espantalho e se torna um game grande além do necessário. 

Por outro lado, o conceito envolvendo o Espantalho, além do Batman se tornar um símbolo de Gotham e continuar vivendo além de Bruce Wayne é excelente, com o herói se tornando algo além de um vigilante para a cidade, o que faz do game uma despedida satisfatória para o personagem na franquia Arkham. 

2. Batman: Arkham Asylum

Imagem: Divulgação/Rocksteady

O primeiro jogo da franquia Arkham é, até hoje, um dos maiores definidores de jogos de herói. O roteiro do game é feito por Paul Dini, um dos maiores escritores do Batman e responsável por Batman: A Série Animada. Além dele, outros nomes já marcantes de várias encarnações de personagens do universo Homem-Morcego foram transportados para o videogame. Kevin Conroy, que dá voz ao vigilante de Gotham, aparece ao lado de Mark Hamill, que se tornou um dos maiores intérpretes do Coringa e continua entregando a melhor versão do personagem. 

Na trama de Arkham Asylum, Batman fica preso no Asilo Arkham e deve impedir que Coringa crie seu próprio exército de bandidos modificados, usando uma fórmula chamada Titan, uma versão mais poderosa do Venom, droga usada para transformar Bane em um ser superpoderoso. Com o Asilo funcionando como um mapa com várias áreas diferentes que podem ser exploradas pelo Homem-Morcego, o jogo possui uma sensação de “mundo aberto” que acaba sendo mais explorada em sua sequência. 

1. Batman: Arkham City

Imagem: Divulgação/Rocksteady

Se Arkham Asylum já era um excelente jogo, a Rocksteady resolveu elevar a barra com o segundo jogo da franquia. A narrativa coloca o Batman numa corrida contra o tempo graças ao Coringa, que infecta o herói com uma doença mortal causada pela fórmula Titan, usada pelo mesmo numa tentativa de criar um exército no jogo anterior. Além disso, o Homem-Morcego precisa lidar com a situação de Arkham City, a cidade prisão no comando de Hugo Strange, que é diretor do Asilo Arkham e um dos vilões de Gotham nos quadrinhos. 

O jogo coloca o Batman para lidar com sua extensa galeria de vilões, soltos por Arkham City, enquanto procura uma cura para si mesmo. Encontramos inimigos como Pinguim, Ra’s Al Ghul, Senhor Frio e Mulher-Gato. Presente no primeiro jogo da franquia, os desafios do Charada retornam para atormentar o Homem-Morcego numa série de quebra-cabeças e problemas pela cidade para resolver. 

Com um dos finais mais impactantes da saga, Arkham City é a experiência definitiva para os fãs de Batman até hoje.

E aí? Gostou da lista? Compartilhe com seus amigos fãs do herói da DC. 

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.