Nintendo derruba vídeos de mod de Zelda: Breath of the Wild

Nintendo derruba vídeos de mod de Zelda: Breath of the Wild

Por Lucas Arraz | Editado por Bruna Penilhas | 14 de Janeiro de 2022 às 12h07

O modder Waikuteru, responsável pela popular modificação “Second Wind” de The Legend of Zelda: Breath of the Wild, alegou que a Nintendo removeu uma nova leva de vídeos de seu canal no YouTube. As imagens davam detalhes sobre a modificação e, ao todo, Waikuteru declarou que mais de 40 vídeos de “Second Wind” foram removidos do canal.

Em resposta à ofensiva da Nintendo, Waikuteru está pedindo aos fãs do mod Second Wind que se organizem em um canal do Discord, na esperança de que eles possam fazer a Nintendo mudar a atitude em relação aos mods.

Second Wind adiciona missões de história e correções a The Legend of Zelda: Breath of the Wild (Imagem: Reprodução/Waikuteru)

Dividido em duas partes, Second Wind faz revisões gerais e correções de bugs importantes à experiência original, além de adicionar ainda mais conteúdo para os jogadores descobrirem.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

A primeira parte do mod Second Wind é chamada de "The Ancient Trials" e inclui missões principais à história e novos inimigos. Uma das atividades recompensa o jogador com um Hylian Shield, inquebrável. O mod Second Wind também é atualizado com frequência, com a nova batalha Octo Boss sendo adicionada apenas recentemente.

Os mods são modificações criativas para jogos já lançados, que geralmente mostram uma comunidade empenhada em manter um título ativo e atualizado. No Brasil, a prática faz sucesso com o Bomba Patch, a prometida versão 100% atualizada de Pro Evolution Soccer, além de outras modificações em jogos como Grand Theft Auto V e Minecraft.

No Japão, esse tipo de criação virou sinônimo de caso de polícia e pode levar os modificadores a pagarem uma multa de R$ 250 mil ou até pegarem cinco anos de cadeia.

Sediada no Japão, a Nintendo costuma fechar o cerco contra qualquer tipo de projeto produzido por fãs que usem franquias da empresa. Em julho de 2021, um chinês foi detido pela polícia de Tóquio, acusado de comercializar modificações de The Legend of Zelda: Breath of the Wild.

Fonte: NintendoLife, GameRant

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.