Elden Ring | Tudo sobre lançamento, gameplay, história e mais

Elden Ring | Tudo sobre lançamento, gameplay, história e mais

Por Lucas Arraz | Editado por Bruna Penilhas | 16 de Fevereiro de 2022 às 19h10
Divulgação/BANDAI NAMCO

A desenvolvedora FromSoftware, de jogos como Dark Souls, Bloodborne e Sekiro: Shadows Die Twice, uniu-se ao autor de Game of Thrones, George R.R Martin, para criar Elden Ring. O jogo é um RPG de ação que promete expandir as fronteiras da fórmula souls-like desenhada pelo diretor Hidetaka Miyazaki em Demon's Souls.

A promessa parece ter empolgado. Elden Ring é o jogo mais aguardado do Steam e também faturou o prêmio de jogo mais aguardado na última edição do The Game Awards (TGA). A seguir, compilamos as principais informações que você precisa saber sobre o título, incluindo data de lançamento, detalhes de história, gameplay e mais.

Data de lançamento

Publicado pela Bandai Namco, Elden Ring chega em 25 de fevereiro de 2022 para PlayStation 4, Xbox One, PlayStation 5, Xbox Series S, Xbox Series X e PC (via Steam). A boa notícia é que o jogo publicado pela Bandai Namco contará com upgrade gratuito do PS4 para o PS5 e também entre os Xbox, por meio do Smart Delivery. Isso significa que os jogadores que possuírem uma cópia do título para a geração passada não terão que pagar nada para jogar a versão otimizada para a nova geração de consoles.

Quanto custa Elden Ring e quais são as edições disponíveis?

A edição padrão de Elden Ring é vendida por R$ 299,90 nas lojas digitais do PlayStation 4, Xbox One, PlayStation 5 e Xbox Series. No PC, a versão básica da aventura custa R$ 249,90 (via Steam). Uma edição digital deluxe, com um livro de arte e trilha sonora original, é vendida a partir de R$ 329,90 nos computadores e R$ 399,50 nos consoles.

Já o preço das cópias físicas variam entre R$ 246 e R$ 269 no varejo brasileiro.

História: o que significa Elden Ring?

Em Elden Ring, o jogador incorpora um Maculado, guerreiro guiado pela força da Graça para portar o poder do Anel Prístino e torna-se um Lorde Prístino. A trama tem como cenário as Terras Intermédias, um local governado pela Rainha Marika.

O nome do jogo representa a fonte de poder da Erdtree, a árvore dourada que serve como a energia do reino. A história se desenrola quando o Elden Ring é destruído e os semideuses passam a reivindicar os fragmentos do anel, gerando uma guerra sem precedentes.

É então que o jogador aparece como Maculado, um protagonista exilado das Terras Intermédias que deve retornar ao reino para obter o poder de Elden Ring e se tornar o Lorde Prístino para restaurar a ordem no mundo. Pouco sabemos além disso, já que detalhes mais profundos não foram divulgados pelo estúdio.

Esqueça grandes cutscenes. A história do jogo irá manter o modelo narrativo da FromSoftware, com desenvolvimento contextual espalhado em itens, diálogos e até no cenário e nos inimigos derrotados. A narrativa é contada em partes e, mais uma vez, deixará interpretações abertas aos jogadores. A ideia é que o jogador converse com personagens para revelar detalhes sobre o que aconteceu no reino.

Qual a contribuição de George R.R. Martin?

Autor de Game of Thrones levou tramas políticas e familiares para Elden Ring (Imagem: Divulgação/Bandai Namco/FromSoftware)

George R.R. Martin foi o responsável por criar a mitologia de Elden Ring, que serviu como base para o desenvolvimento da história, dos personagens, ambientação, inimigos e muitos outros detalhes aprofundados pela FromSoftware. Com as bases criadas pelo autor da série de livros “As Crônicas de Gelo e Fogo”, Hidetaka Miyazaki assumiu não somente a direção, como também o roteiro da aventura.

Quem acompanha as obras de Martin deve reconhecer trechos característicos do autor na aventura, como conflitos políticos e questões familiares.

Elden Ring tem um mundo aberto?

Sim! Apesar das semelhanças com Dark Souls, inclusive no reaproveitamento de objetos e animações, Elden Ring carrega o objetivo de oxigenar a fórmula da FromSoftware. A principal novidade do game é a apresentação de um mundo aberto, com maior liberdade para o jogador explorar e seguir a ordem que desejar.

Se por um lado, em jogos anteriores da FromSoftware, era necessário vencer o desafio de um chefe de área para prosseguir na história, o mapa aberto de Elden Ring cria alternativas e mais respiro aos jogadores.

Elden Ring é o Breath of The Wild da FromSoftware? (Imagem: Captura de Tela/Durval Ramos/Canaltech)

O fato de andar livremente pelo cenário possibilita que o jogador apenas desvie de inimigos e escolha outros caminhos. É a oportunidade perfeita para encontrar adversários mais fracos pelas redondezas, acumular pontos de experiência (aqui chamados de runas) e aprimorar o personagem principal. De um modo geral, o mundo aberto entrega a oportunidade de uma experiência menos punitiva.

Gameplay

A FromSoftware é creditada pela criação do subgênero dos videogames, chamado de souls-like. Assim como outros títulos classificados como tal, Elden Ring irá apresentar batalhas desafiadoras, que exigem muita prática e determinação para serem dominadas.

Para ajudar na exploração e nas batalhas, jogadores contarão com novos botões de ação, um dedicado ao agachamento e outro para pulos. Agachar-se abre espaço para abordagens furtivas, testadas pela FromSoftware em Sekiro. Com o pulo, é possível tirar proveito do mapa aberto e da vegetação como esconderijo, a fim de eliminar oponentes de maneira silenciosa. Ainda é possível pular por cima de um inimigo para quebrar a defesa.

Batalha contra Margit segue a mesma lógica de Dark Souls: inimigo com movimentos rápidos em um ambiente estreito e limitante (Imagem: Captura de Tela/Durval Ramos/Canaltech)

Como funciona a exploração no jogo?

A mudança mais sensível na exploração de Elden Ring é a adição de um sistema de viagem rápida. Até então, a mecânica era bem limitada e funcionava apenas entre fogueiras. Agora, o jogador pode viajar para uma das bonfires (aqui chamadas de Graça) a partir de qualquer lugar das Terras Intermédias, bastando abrir o mapa para isso.

Com a novidade, ganhamos a possibilidade de retornar a um acampamento e salvar a experiência acumulada, sem necessariamente colocar tudo a perder no caminho de volta para uma fogueira.

Jogo conta com viagem rápida para facilitar a exploração do cenário (Imagem: Captura de Tela/Durval Ramos/Canaltech)

O mapa promete ainda ser mais claro e permitir a aplicação de marcadores. O jogador precisará recolher fragmentos do mapa ao redor do mundo, mas será possível usar uma luneta para observar regiões e acampamentos à distância, identificando a localização de tesouros, além de conferir terrenos e construções próximas.

Morreu a caminho de um ponto interessante? Elden Ring apresenta um sistema de checkpoints inédito. Chamadas de Estacas de Marika, os pontos de salvamento são ativados automaticamente quando o jogador morre próximo a área do marcador. As estacas levam o protagonista de volta para um local de Graça ou para o ponto mais próximo da morte, abrindo a possibilidade de acelerar o retorno a batalhas e diminuir a frustração com os fracassos.

Cavalo alado é ótimo para batalhas, mas possui barra de HP (Imagem: Divulgação/Bandai Namco/FromSoftware)

Para complementar a exploração, Elden Ring introduz uma montaria para o protagonista, o cavalo espectral Torrente. O bichano é invocado a qualquer momento e está disponível no início do game. O alazão não se mostrará apenas útil para percorrer grandes trajetos, como também altera a dinâmica dos combates.

É possível lutar em cima do cavalo e utilizar a velocidade da galopada para fugir de ataques precisos. Mas cuidado: Torrente possui uma própria barra de HP e desaparece quando ela é zerada.

As classes disponíveis em Elden Ring

Como em um bom e velho RPG, o jogador poderá criar e customizar não apenas a aparência do protagonista, mas também o estilo de jogo. Em Elden Ring, será possível dominar o combate de espada, sendo ao mesmo tempo um poderoso feiticeiro ou um arqueiro muito habilidoso.

Confira as classes já anunciadas para o jogo:

Astrólogo

Um estudioso que lê o destino nas estrelas.

Bandido

Perigoso e sabe acertar pontos fracos. Excelente para combates com arcos.

Prisioneiro

Usa uma máscara de ferro. Estudou feitiçaria e viveu entre a elite antes de ser sentenciado.

Vagabundo Um guerreiro exilado e blindado.
Herói

Um herói robusto.

Confessor

Espião adepto à furtividade. Pode usar espada e magias.

Samurai

Carrega uma katana e arco.

As classes entram em batalha e podem se aproveitar de atributos próprios para usar a furtividade ou até mesmo convocar aliados para obter ajuda. A FromSoftware encoraja que jogadores testem diferentes tipos de armas, habilidades mágicas e poderes encontrados ao longo do jogo.

Existem dungeons em Elden Ring?

As dungeons (masmorras) ainda fazem parte da nova experiência souls-like, mas possuem diferentes escalas e formatos. Além das masmorras tradicionais e mais simples que fãs do estúdio já conhecem, Elden Ring apresenta as Legacy Dungeons (traduzidas para Áreas Legado), formada por imensos castelos ou construções que abrigam um design muito mais complexo e denso do que as dungeons normais.

A variação surge em áreas isoladas do mapa que elevam o desafio e conectam o mundo aberto do game. Existem várias formas de explorar uma Legacy Dungeon. Os jogadores podem seguir pelo caminho mais difícil, como encarar o portão principal para enfrentar um exército que forma a guarda da fortaleza, ou buscar rotas mais discretas que podem esconder segredos.

Grandes áreas compõe Dungeons em Elden Ring (Imagem: Divulgação/Bandai Namco/FromSoftware)

Visuais

A ambientação em um mundo de fantasia traz mais cor e vida à atmosfera de Elden Ring. Em contraste aos visuais sombrios de Bloodborne, o novo jogo apresenta paisagens com planícies cheias de ruínas, florestas com folhas amareladas, trechos cobertos por vegetação e lindas flores, um desfiladeiro com muita névoa e muitas, mas muitas regiões montanhosas.

De modo geral, a ambientação claustrofóbica abre espaço para alguns cenários mais acolhedores e belos. Durante os testes com uma demonstração beta do jogo, o Canaltech não notou diferenças gráficas consistentes entre os visuais do jogo no PS4 Pro e PS5.

Elden Ring tem mundo belo, mas igualmente perigoso (Imagem: Divulgação/Bandai Namco/FromSoftware)

Elden Ring é mais fácil que Dark Souls?

Não necessariamente. Elden Ring é menos punitivo e mais acessível que os irmãos da família souls-like. A FromSoftware trabalhou para simplificar burocracias da fórmula, a fim de incentivar a exploração do jogador pelas Terras Intermédias.

Novidades como o cavalo, viagens rápidas e checkpoints surgem para facilitar a exploração. Para complementar, o dano por queda foi reduzido em Elden Ring e o consumo de vigor ocorre apenas quando o jogador está em batalha. Fora das lutas, o Maculado pode correr, rolar e atacar à vontade sem que a sua barra de estamina seja afetada.

É mais fácil desbravar o mundo de Elden Ring (Imagem: Divulgação/Bandai Namco/FromSoftware)

Outro ponto que mexe na acessibilidade é a inclusão de inimigos mais simples e até mesmo mais frágeis espalhados pela área de mundo aberto. São soldados e animais selvagens que dão a oportunidade de acumular pontos de experiência, sem levar dano. A FromSoftware quer que Elden Ring seja uma nova porta de entrada para os jogos do estúdio, por isso também o jogador contará um tutorial para explicar mecânicas e controles básicos em uma caverna no trecho inicial da jornada.

Em entrevista ao PlayStation Blog, Hidetaka Miyazaki ressaltou que a dificuldade dos jogos da FromSoftware não é pensada para “dar trabalho ou dificultar as coisas”, mas sim para que “os jogadores sejam perspicazes, estudem o jogo, pensem no que está acontecendo e aprendam com seus erros". Ele acredita que mais jogadores conseguirão chegar ao fim de Elden Ring do que em títulos anteriores do estúdio.

Quanto tempo é necessário para zerar Elden Ring?

São necessárias 30 horas de jogo, em média, para concluir a campanha principal de Elden Ring. Como acontece em todo game de mundo aberto, a quantidade de tempo pode variar de acordo com as escolhas feitas pelo jogador e também pelo nível de gameplay.

Elden Ring tem multiplayer?

A nova aposta da FromSoftware poderá ser jogada cooperativamente por até três pessoas em um servidor online. O multiplayer segue o básico do sistema de invocação e invasão de outros jogos do estúdio. É sempre possível contar com um aliado na hora de enfrentar um chefe, o que promete ajudar nas desafiadoras Legacy Dungeons.

Ainda há a opção de invocar espíritos de inimigos mortos como aliados durante uma batalha, que podem distrair outros adversários e abrir caminho para ataques.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.