Publicidade
Economize: canal oficial do CT Ofertas no WhatsApp Entrar

A história real de Yasuke, o samurai negro de Assassin’s Creed: Shadows

Por| 15 de Maio de 2024 às 16h21

Link copiado!

Ubisoft
Ubisoft

O primeiro trailer de Assassin’s Creed: Shadows empolgou muita gente ao confirmar que, depois de quase duas décadas de pedidos, a Ubisoft vai finalmente levar a franquia para o Japão Feudal. Só que, além da expectativa, o anúncio também levantou algumas dúvidas ao trazer um dos protagonistas como um samurai negro. 

Só que, embora muita gente tenha se surpreendido com o personagem, Yasuke é uma figura histórica real da História do Japão, Embora haja poucas informações sobre ele, há registros sobre sua existência em relatos do século 16 e também em obras de arte da própria época. 

Continua após a publicidade

Considerado o primeiro samurai estrangeiro, ele é uma figura tão única que segue despertando a imaginação e o fascínio do mundo até hoje. Não por acaso, virou personagem de outras histórias, aparecendo em filmes, animes, mangás e até foi tema de escola de samba. Agora, Assassin’s Creed: Shadows promete levar o samurai negro a um público ainda maior.

Quem foi Yasuke, o Samurai Negro?

Como dito, a história de Yasuke é repleta de lacunas. Embora haja diversos registros históricos que confirmem sua existência e seu papel dentro dos círculos de poder do Japão Feudal, sua origem e mesmo como ele ascendeu em meio à sociedade nipônica não são claros até hoje.

Continua após a publicidade

Tanto que a própria origem de seu nome é uma grande incógnita. Obviamente, ele não se chamava Yasuke, sendo esse um nome dado pelos japoneses para o estrangeiro. Algumas fontes especulam que ele poderia ter um nome foneticamente parecido, como Yasufe, Issufo ou mesmo Isaque, embora não haja nada que confirme uma ou outra teoria.

O que é certo é que ele chegou ao Japão em 1579 acompanhando um padre jesuíta. Novamente, os relatos acabam divergindo, pois não há certeza se ele era um escravo ou algum tipo de servo, já que há relatos de povos africanos que atuavam como mercenários nessa época. A versão mais aceita, porém, é que ele era mesmo um homem escravizado — visto que estamos falando do século 16.

Vindo possivelmente de Moçambique, uma colônia portuguesa que também recebeu diversas missões jesuítas, ele chamou muito a atenção tão logo chegou ao Japão. Embora alguns historiadores apontem que a presença de negros no país asiático não era tão raro assim devido à própria presença portuguesa na região na época, os relatos sobre Yasuke mostram o quanto ele gerou alvoroço na população local.

Continua após a publicidade

De acordo com cartas escritas pelo jesuíta português Luís Fróis, o barulho causado pelo “gigante negro” fez com Oda Nobunaga, um dos principais senhores feudais da época, se interessasse pelo estangeiro. Em seus textos, ele relata que o daimyo se espantou com a cor do homem e chegou a mandar lavá-lo para confirmar que não se tratava de alguém pintado.

Alguns historiadores apontam que, na época, o Japão não encarava o negro da mesma forma que o europeu e sua lógica escravocrata. Ainda que alguns estranhassem os homens de pele escura, muitos se admiravam por seu porte físico. Ainda nas cartas de Luís Frois, é dito que Nobunaga se encantou justamente pela força de Yasuke, dizendo que ele tinha a força de dez homens comuns.

O samurai estrangeiro

Continua após a publicidade

Em questão de alguns poucos anos, Yasuke teria caído tanto nas graças de Oda Nobunaga que chegou a ser alçado a nobre dentro da sociedade japonesa, tendo inclusive contato direto com o daimyo — o que sugere, segundo apontam historiadores, que o estrangeiro havia aprendido a falar japonês.

Assim, Yasuke acabou sendo elevado à categoria de samurai, lutando pelo exército de uma das figuras históricas mais importantes do Japão. Isso significa, na prática, que ele tinha o kit completo do samurai que estamos acostumados a ver em obras de época, com direito a katana e armadura, além de um salário e propriedades.

Ele lutou ao lado de Nobunaga até a derrota do daimyo em 1582, quando o lorde foi forçado a cometer o seppuku (o suicídio honroso) ao perder para Akechi Mitsuhide. Ainda assim, Yasuke teria se aliado ao filho de seu antigo senhor, Oda Nobutada, por mais algum tempo.

Continua após a publicidade

A partir desse ponto, porém, os registros sobre o Samurai Negro se tornam ainda mais escassos. Os relatos apontam que as batalhas contra o exército de Akechi se intensificaram até que Yasuke fosse definitivamente derrotado — ainda que tivesse tido sua vida poupada. 

Yasuke e a cultura pop

Embora Yasuke seja o protagonista do novo Assassin’s Creed: Shadows, a história do samurai africano já foi contada outras vezes em diferentes meios — inclusive nos videogames. Ele aparece, por exemplo, em NiOh e na franquia Samurai Warriors, que também exploram esse período histórico.

Continua após a publicidade

Em 2021, a Netflix estreou um anime dedicado apenas ao personagem. Yasuke é produzido pelo mesmo Studio Mappa de Attack on Titan e mistura detalhes históricos com elementos mais fantasiosos, mas ainda traz uma visão bem ampla de sua trajetória. A animação surgiu após o filme sobre o personagem com Chadwick Boseman (Pantera Negra) ter sido cancelado.

E as lendas do samurai africano reverberam até mesmo no Brasil. O rapper Emicida lançou uma música chamado Yasuke (Bendito, Louvado Seja) que, embora não fale sobre a figura histórica, faz uma referência bastante óbvia em seu título. Além disso, em 2023, a escola de samba Mocidade Alegre foi campeã do Carnaval de São Paulo com um samba-enredo sobre o africano mais nipônico que existiu.