Investidor diz que receita dos AirPods supera Twitter, Snapchat e Spotify juntos

Por Claudio Yuge | 08 de Janeiro de 2020 às 22h10
apple
Tudo sobre

Saiba tudo sobre AirPods Pro

Ficha técnica

A Apple vem tentando diversificar suas fontes de receitas nas últimas temporadas, para não ficar tão dependente dos iPhones. Hoje, ela faz isso seja por meio de serviços ou com gadgets que conquistaram uma parcela expressiva de fieis consumidores. Entre esses produtos estão o Apple Watch e os AirPods, sendo que esse último item, pasmem, já traz ganhos que superam os do Twitter, Snapchat e Spotify juntos.

Isso é o que aponta um relatório publicado pelo investidor de tecnologia Kevin Rooke, em uma análise que reúne dados de várias pesquisas de mercado desde 2016 e uma projeção média de distribuição dos fones sem fio da Maçã. De acordo com essa estimativa, em 2017, a Apple vendeu cerca de 15 milhões de AirPods, a US$ 150, o que gerou uma receita de US$ 2,25 bilhões.

AirPods Pro ajudaram a aumentar a receita da Apple em 2019 (Imagem: Divulgação/Apple)

Em 2018, houve um grande salto, com 35 milhões de Airpods comercializados, também a US$ 150. Isso rendeu US$ 5,25 bilhões, uma alta de 133% em relação à temporada anterior. Já em 2019, a gigante de Cupertino teria acumulado US$ 12 bilhões com a saída de 60 milhões de unidades do acessório, um crescimento de 128% na comparação com 2018 — e a atualização dos preços para US$ 200 e US$ 250 (essa última é a versão premium AirPods Pro) contribuiu bastante para isso.

O total seria de 110 milhões de AirPods comprados desde 2016. Alguns analistas discordam desses números, como Neil Cybart, da Above Avalon, consultoria especializada em dados financeiros da Apple. De acordo com Cybart, a receita real dos AirPods em 2019 teria sido de US$ 7,5 bilhões — o que não deixa de ser uma verba generosa.

Ganhos dignos de uma startup em ascensão

Rooke foi além e montou uma comparação entre a receita obtida com os AirPods e gigantes do mercado de tecnologia, como Tesla, Netflix, Uber, entre outras. Como dá para ver no gráfico abaixo, os supostos US$ 12 bilhões vindos dos gadgets em 2019 teriam ultrapassado os números de companhias como Nvidia, Adobe e AMD, e é superior até mesmo ao montante acumulado pelo Spotify, Twitter e Snapchat...juntos!

Imagem: Divulgação/Kevin Rooke

“Imagine uma startup com US$ 12 bilhões em receita, crescimento anual de receita de 125%+ na relação ano a ano (por dois anos consecutivos) e margens à altura da Apple (30-50%). Sem saber nada mais sobre o negócio, por quanto você o avaliaria? US$ 50 bilhões? US$ 100 bilhões? Mais? Esse é o negócio de AirPods da Apple, o segmento de crescimento mais rápido da empresa mais valiosa do mundo”, comentou Rooke.

Como os AirPods são vistos como um segmento independente dos iPhones, já que eles podem ser pareados com vários outros dispositivos, a expectativa é de que eles se tornem cada vez mais relevantes para a Maçã em 2020 e nos próximos anos. Não se surpreenda se virmos mais modelos e atenção especial da companhia para esses produtos daqui para frente.

Fonte: PPLware, Kevin Rooke, Above Avalon    

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.

Ofertas AirPods Pro

  • Fast Shop
    Fone de Ouvido sem Fio Apple AirPods Pro Headphones com Estojo de Carregamento Branco - MWP22BE/A
    R$ 1.894,33
  • Apple Store
    AirPods Pro
    R$ 2.024,10
  • Submarino
    Airpods Pro Branco - Apple
    R$ 2.038,98