"Foi um alívio", desabafa Ranger sobre saída do Flamengo Esports

"Foi um alívio", desabafa Ranger sobre saída do Flamengo Esports

Por Igor Pontes | Editado por Bruna Penilhas | 18 de Agosto de 2021 às 16h52
Imagem: Bruno Alvares / Riot Games Brazil

Na última terça-feira (17), Filipe "Ranger" Brombilla foi desligado do Flamengo Esports após ter jogado 4 etapas pelo clube Rubro Negro. O caçador saiu da equipe envolto de casos polêmicos e, durante a participação em um podcast, revelou detalhes sobre a passagem turbulenta pela organização.

Em entrevista para o Combo Podcast, comandado por Tácio "Schaeppi", Thiago "Djoko" Maia e Felipe Prieto, Ranger comentou sobre como foi o desligamento do Flamengo, e como ele não teve tempo de digerir a notícia depois do anúncio. "Eu estava em casa, e me chamaram para uma reunião por volta das 16h. Quando eu atendi a ligação, fui comunicado do desligamento. Fui abrir meu Twitter para escrever sobre minha saída e já estava lá a postagem com o anúncio da saída, eu soube quase que ao mesmo tempo da torcida."

Durante a conversa, que você pode conferir na íntegra abaixo, o jogador declarou que a gestão da equipe parecia confusa. "Eu não sabia quem era chefe de quem lá dentro, quem tinha mais autoridade que quem. Era um 'bagulho' meio esquisito. Eu reportava as coisas para um grupo de pessoas, mas era sempre muito esquisito, parecia que as coisas estavam em desordem".

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

O Flamengo Esports colecionou uma série de polêmicas ao longo dos últimos anos, com o CEO da Simplicity, Jed Kaplan, dando declarações polêmicas sobre o desempenho da equipe, além da divisão de Free Fire da organização, que é gerida por outra empresa, que se envolveu em um caso recente com o anúncio da streamer Cacau, em que o vídeo de anúncio parece fazer alusão a prática de stalking. O vídeo e o pedido de desculpas foram deletados do Twitter do Flamengo.

De acordo com Brombilla, ele não chegou a lidar muito com o CEO da Simplicity apesar de sua postura polêmica. Um dos hosts do podcast, Thiago "Djoko" Maia, é ex-coach de League of Legends e chegou a comandar o Flamengo durante a passagem de Ranger. Ele disse que a forma como Kaplan se posiciona nas redes sociais chegava a afetar o clima na organização.

Em uma das polêmicas mais notórias que o CEO se envolveu, após uma má atuação da equipe, Kaplan postou um gif no Twitter que mostrava uma pessoa queimando dinheiro, em alusão aos investimentos do time. Na época, o atirador Ju "Bvoy" Yeong-hoon havia sido contratado pela equipe para jogar ao lado do suporte Han "Luci" Chang-hoon. Bvoy vinha de uma grande fase na LEC (League of Legends European Championship) e foi considerado o maior investimento do time para a temporada.

"Esse tipo de coisa afetou muito a diretoria aqui no Brasil, e acho que principalmente nos imports (jogadores estrangeiros), já que ele lidava diretamente com eles." Ranger também completou falando sobre a atitude: "Eles sabem que são o maior salário, então soa assim 'Olha, tô queimando dinheiro com você, Bvoy, seu salário é bom'". Yeong-Hoon jogou somente uma etapa pelo Flamengo Esports, apesar de ter caído nas graças da torcida mesmo com a má atuação da equipe durante sua passagem. E de acordo com Ranger, Kaplan continua com sua postura polêmica.

Ex-jogador do Flamengo Esports falou sobre o clima pesado dentro da organização. (Imagem: Reprodução/Combo Podcast)

"Quando eu fui rescindido agora, ele deu retweet numa postagem do Orleans (ex-gestor do Flamengo Esports), falando 'Zico is underrated (subestimado)' e o Jed compartilhou, tá ligado? Eu achei um 'bagulho' antiético". Nesse caso, a postagem faz menção de quando Ranger escreveu em seu Twitter uma brincadeira de duplo sentido envolvendo o apelido Zico.

Na postagem, Ranger falava que "Zico é overrated (superestimado)", fazendo alusão ao fato de que tanto Arthur Antunes Coimbra, o ex-jogador e ídolo do Flamengo, e Woo Ji-ho, rapper do grupo de kpop Block B, usam o mesmo apelido. A torcida do Flamengo, tanto da parte de eSports quanto do futebol, repercutiu negativamente a declaração do jogador, que pediu desculpas e apagou a postagem.

Filipe comentou sobre o psicológico ter sido afetado durante essa etapa do CBLOL. "Foi um alívio, sabe? Que acabou esse ciclo. Esse split psicologicamente estava difícil, parecia que eu estava apanhando de todos os lados". Ele também comentou sobre como o clima nos treinos estava péssimo dentro da equipe. "O declínio inteiro do time é uma história bizarra, complicada." A equipe na segunda etapa do CBLOL, caiu nas quartas de final após uma péssima atuação contra a Red Canids Kalunga.

Sobre esse assunto, a principal dúvida era principalmente devido ao 3x0 que a equipe sofreu contra a Red Canids. "A série em específico foi muito erro de planejamento. A gente não se preparou nada para a Red, nós não temos analista, então, nós não tínhamos informações da Red, não sabíamos nada, só 'fomos jogar'', revelou o jogador.

Ainda de acordo com Ranger, essa série foi uma culminação de um clima insustentável. "Para mim, a nossa line-up é muito boa e nós começamos bem os campeonatos pois todo mundo é muito bom individualmente. Quando a influência da staff começou a entrar na cabeça dos jogadores que a equipe começou a declinar". Segundo o relato do jogador durante a conversa, nem mesmo a boa fase do time era apreciada pelos superiores do time.

"A gente tinha 6, 7, 10 vitórias seguidas no campeonato e o clima nos treinos era um clima de morte. Um clima de jogador falar assim 'eu não aguento estar aqui dentro', de estar se sentindo muito mal e violentado psicologicamente". De acordo com o jogador, a influência da staff era tão forte que afetava os jogadores de forma bastante negativa. "A staff falava assim: 'Não quero que você jogue pela parte inferior do mapa, não pise botside (lado inferior do mapa), não vai ali, não faz isso'. Nosso time por dentro estava esmigalhado".

Durante a primeira etapa, o atirador do Flamengo Esports era Luis Felipe "Absolut", que após a primeira etapa deu uma pausa indefinida na carreira. O jogador retornava de uma cirurgia na mão, resultado de um tratamento contra a tendinite que já chegou a afastar ele outras vezes do cenário competitivo.

"Jogar estava difícil, tinham setores que eu não podia pisar." De acordo com Ranger, a equipe conversou sobre a atitude negativa da staff e, na segunda etapa, as situações desconfortáveis estavam acontecendo com menos frequência, mas ainda assim ocorriam. "A gente teve um episódio em que nós subimos o Netuno (atirador da equipe do Academy do Flamengo) e ele desabafou sobre isso, a falta de interação com a rota inferior. Estávamos indo muito bem até que a mesma situação começou a acontecer com ele". O caçador também revelou que alguns jogadores da equipe chegaram a pedir para jogar o Academy (categoria de base do CBLOL) por não aguentar o clima dentro da organização.

"Nós estávamos invictos na competição, mas nem por isso nós deixamos de ser profissionais. Era 'papo' da gente chegar para jogar o CBLOL no sábado, e durante o aquecimento, nós jogávamos contra o time do Academy, e o pessoal surtar, sair batendo a porta, gritando, assim, antes do jogo do CBLOL, para quê, sabe?" Para Ranger, ele acreditava que essa atitude era algo "cultural". E de acordo com o caçador, após levar a situação diretamente para a staff, o feedback foi bastante negativo.

"O feedback que eu recebi foram dois. O primeiro que eu recebi diretamente da pessoa foi que, o ambiente sem estresse, que não te dá vontade de chorar, não é produtivo." O outro foi sobre se a equipe estava entregando o que foi pedido, mas pela descrição do caçador, a situação era complicada. "Você vai jogar de Caitlyn hoje e vai pegar 10 barricadas (fases das torres no jogo que ao serem derrubadas, dão dinheiro aos jogadores próximos) e a gente só pegava 5, eles falavam 'C******, que m**** é essa?' E se a gente tentasse mais uma vez, e não conseguisse, éramos chamados de retardados".

O Head Coach atual do Flamengo Esports, Serdar "Pades" Padeş veio da Turquia, tendo passagem por times como Fenerbahçe e SuperMassive eSports, onde estava como Coach antes de entrar para o Flamengo. Ele chegou a disputar o Worlds em 2020, perdendo de 3x0 para a Unicorns of Love e não se classificando para a fase de grupos do torneio.

O Canaltech procurou a Simplicity Esports em busca de uma declaração sobre os comentários de Ranger sobre o clima dentro do Flamengo Esports. Até o fechamento desta matéria, não recebemos nenhum retorno da detentora dos direitos do Flamengo Esports. Caso a empresa retorne nosso pedido, a matéria será atualizada.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.