Sucesso! China testa novo motor de foguete com o maior empuxo do mundo

Sucesso! China testa novo motor de foguete com o maior empuxo do mundo

Por Wyllian Torres | Editado por Patrícia Gnipper | 19 de Outubro de 2021 às 20h40
Pixabay/Domínio Público

Nesta terça-feira (19), um novo motor de impulso de foguete foi testado com sucesso na China, usando combustível sólido e prometendo ter o maior empuxo já obtido em foguetes de todo o mundo. A tecnologia foi testada pela Quarta Academia da Corporação de Ciência e Tecnologia Aeroespacial da China (CASC) e destaca o crescimento do país asiático no setor espacial.

Com 3,5 metros de diâmetro e um impulso de até 500 toneladas, o motor de foguete tem apenas um estágio e adota uma série de tecnologias avançadas. Entre elas, uma carcaça feita de fibra de alto desempenho, uma câmara de combustão integralmente fundida de alta carga e um bico superdimensionado. Com o sucesso do teste, o motor atingiu o nível de liderança mundial.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

Basicamente, o impulsionador de estágio único utiliza um motor de foguete de combustível químico sólido, também conhecido como propulsor sólido. Uma vez acionado, o propelente é consumido na câmara de combustão e, então, a energia química é convertida em energia térmica. Os produtos desta etapa são direcionados para o bico do sistema e, ali, a anergia térmica é transformada em energia cinética, a qual é liberada em alta velocidade, produzindo o empuxo.

Os dados do teste com o novo motor auxiliam o desenvolvimento de outro motor segmentado de 3,5 metros de diâmetro, que atualmente está em desenvolvimento pela CASC. Dividido em cinco partes, o motor terá uma capacidade máxima de impulso de até 1.000 toneladas e poderá ser aplicado a impulsionadores sólidos de grandes e pesados foguetes.

Com isto, a China espera atender às diversas necessidades de equipamentos espaciais do país, como aterrissagens lunares tripuladas e, inclusive, a exploração do espaço profundo.

Fonte: IT Home

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.