Publicidade
Economize: canal oficial do CT Ofertas no WhatsApp Entrar

Sonda da NASA tira fotos de outra espaçonave na Lua

Por| Editado por Luciana Zaramela | 11 de Abril de 2024 às 12h09

Link copiado!

NASA/Goddard/Arizona State University
NASA/Goddard/Arizona State University

A sonda Lunar Reconnaissance Orbiter (LRO), da NASA, flagrou o que parecia ser um objeto estranho orbitando a Lua. Na verdade, trata-se apenas da sonda espacial Danuri, da Coreia do Sul, que aparece nas fotos como um traço fino e escuro. 

O orbitador lunar Danuri foi lançado em 2022 para desenvolver e testar tecnologias, além de criar um mapa do relevo da superfície lunar. Entre seus instrumentos, está a câmera ShadowCam e sua alta sensibilidade à luz, que permite capturar imagens do que há nas regiões lunares imersas em sombras.

A NASA contribuiu para o desenvolvimento do dispositivo, e por isso, nada mais justo que a LRO voltar seus “olhos” para a espaçonave sul-coreana. As fotos foram tiradas quando passaram a 11.500 km/h em direções opostas uma à outra, nos dias 5 e 6 de março. 

Continua após a publicidade

Em uma das fotos, a LRO estava 5 km acima da Danuri e precisou mudar seu ângulo para conseguir registrar a outra espaçonave. Em outra órbita, a dupla estava separada por apenas 4 km. Na última, a distância aumentou para 8 km. 

"Devido às rápidas velocidades relativas entre as duas espaçonaves, a equipe de operações da LRO no Centro de Voos Espaciais Goddard, da NASA, precisou de um timing primoroso para apontar a [câmera] LROC para o lugar certo, na hora certa, para vislumbrar a Danuri, a primeira espaçonave da República da Coreia na Lua", explicou a NASA em um comunicado.

Pode parecer estranho ver esta espaçonave, que tem formato cúbico, visível nas fotos como uma estrutura fina e alongada. Mas, para Paul Byrne, professor de ciência planetária associado da Universidade de Washington, não há mistério algum.

"Para ser claro, o orbitador Danuri não é uma 'carga estranhamente fina de pixels' — é um orbitador de aparência bastante normal", escreveu Byrne no X, o antigo Twitter. "Mas as velocidades incríveis envolvidas significam que ele está borrado no detector da câmera do LRO”, acrescentou.

Fonte: NASA