Publicidade
Economize: canal oficial do CT Ofertas no WhatsApp Entrar

Sonda da NASA flagra nova explosão solar de alta intensidade

Por| Editado por Luciana Zaramela | 07 de Maio de 2024 às 10h28

Link copiado!

NASA/SDO AIA, EVE, HMI science teams/helioviewer.org
NASA/SDO AIA, EVE, HMI science teams/helioviewer.org

O grupo de manchas solares AR3663 continua em ação. Nesta segunda (6), as manchas liberaram uma explosão solar classificada como X4,5 (alta intensidade), que causou perda temporária ou total dos sinais de rádio na Ásia, bem como em partes da Europa e da África do Sul. 

As explosões solares acontecem quando os fortes campos magnéticos do Sol se reconectam. Elas são classificadas de acordo com a intensidade: as mais fracas são da classe B, e as mais fortes, X. Como o Sol está a caminho do pico do seu ciclo, é esperado que explosões de classe X aconteçam durante o ano.

O evento foi registrado pelos “olhos” do observatório Solar Dynamics, da NASA. Observe o aumento de brilho no disco solar registrado no ultravioleta extremo.

Continua após a publicidade

Esta erupção é a quarta da série de eventos que começaram há poucos dias. Na noite de quinta (2), o grupo de manchas disparou uma explosão de classe X1,6, que veio acompanhada de uma ejeção de massa coronal. O evento causou blecautes de rádio na Austrália, Japão e em parte da China. 

Uma nova explosão aconteceu na manhã seguinte, vinda da mesma mancha. Não pense que a região se acalmou: no domingo (5), as manchas AR 3663 e AR 0601 liberaram explosões das classes X1,3 e X1,2 que causaram apagões de rádio em algumas regiões na Terra.

Estes eventos mostram que o grupo de manchas AR3663 é o mais ativo no ciclo solar atual, e é possível que tenha mais algumas surpresas guardadas para nós: segundo previsões da Administração Nacional Oceânica e Atmosférica (NOAA), há 50% de chances de que aconteçam mais explosões da classe X nas próximas 24 horas.

Fonte: Spaceweather