Rover chinês Zhurong tira suas primeiras fotos de Marte; confira!

Rover chinês Zhurong tira suas primeiras fotos de Marte; confira!

Por Danielle Cassita | Editado por Patrícia Gnipper | 19 de Maio de 2021 às 11h20
Reprodução/CNSA

Na semana passada, a China pousou o rover Zhurong na Utopia Planitia, em Marte, como parte da missão Tianwen-1. Agora, nesta quarta-feira (19), a agência espacial China National Space Administration (CNSA) divulgou as primeiras imagens feitas pelo veículo na superfície de Marte, logo após o pouso, junto de alguns vídeos que registram sua separação do orbitador. Estas são as primeiras imagens que recebemos da superfície Planeta Vermelho produzidas por uma missão que não é realizada pelos Estados Unidos.

Houve alguma preocupação nos últimos dias devido à demora para o recebimento de imagens e do estado do rover, mas vale lembrar que a China tem somente o orbitador da missão Tianwen-1 servindo como transmissor de dados. As fotos mostram que o rover Zhurong ainda está sobre o módulo de pouso, dentro do qual viajou até a superfície marciana, mas ele deverá descer pela rampa do módulo já nesta semana para iniciar sua missão.

A imagem em preto e branco foi feita por uma câmera de desvio de obstáculos, que fica na parte frontal do rover, e mostra que a rampa à frente do veículo foi estendida até tocar a superfície de Marte. Como a câmera tem uma lente grande-angular, o horizonte fica com uma distorção e aparência curva. Já a imagem colorida foi feita pela câmera de navegação instalada no rover, mostrando que os painéis solares e a antena do veículo já estão desdobrados.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

Separação do lander e do rover do orbitador durante o pouso (Imagem: Reprodução/CNSA)

O rover Zhurong tem cerca de 1,8 m de altura e pesa 280 kg, o que o torna levemente maior que os rovers Spirit e Opportunity, mas bem menor que o Curiosity e o Perseverance, da NASA. O rover chinês deverá ficar ativo por 90 dias marcianos — o equivalente a 92 dias terrestres — enquanto estuda a estrutura geológica do planeta, seu campo magnético, clima, a composição da superfície e as camadas abaixo da superfície, compostas por rocha e gelo.

Para isso, o veículo está equipado com câmeras, um radar de penetração no solo, um detector de campo magnético, uma estação climática e um instrumento para analisar a composição química de poeira e rochas. Já o orbitador Tianwen-1 tem seus próprios instrumentos para estudar o Planeta Vermelho da órbita, além de servir também para enviar os dados obtidos pelo rover para a Terra.

Outro vídeo do processo de separação do orbitador (Imagerm: Reproduçã/CNSA)

O pouso foi realizado na Utopia Planitia, uma grande bacia formada por um forte impacto ocorrido no passado de Marte. O Zhurong não é o primeiro rover a explorar a região, já que o lander Viking 2, da NASA, pousou mais ao norte na bacia em 1976 e produziu imagens de alta resolução da superfície marciana — mas o veículo estadunidense não tinha recursos para investigar muito mais além de local de pouso.

NASA parabeniza a China

Logo após a divulgação das fotos da superfície tiradas pela missão Tianwen-1, o administrador da NASA, Bill Nelson, veio a público parabenizar o feito da China. Ele declarou:

"Parabéns à Administração Espacial Nacional da China por receber as primeiras imagens do rover Zhurong Mars! À medida que a comunidade científica internacional de exploradores robóticos em Marte cresce, os Estados Unidos e o mundo aguardam as descobertas que o Zhurong fará para avançar o conhecimento da humanidade sobre o Planeta Vermelho. Estou ansioso por futuras descobertas internacionais, que ajudarão a informar e desenvolver as capacidades necessárias para pousar botas humanas em Marte". 

Fonte: Xinhua, ChinaDaily, NASA

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.