NASA fornece detalhes sobre a primeira missão tripulada a Marte

NASA fornece detalhes sobre a primeira missão tripulada a Marte

Por Wyllian Torres | Editado por Rafael Rigues | 18 de Maio de 2022 às 17h10
NASA

A NASA forneceu um vislumbre do que poderá ser a primeira missão tripulada a Marte, onde dois astronautas passariam 30 dias na superfície do planeta conduzindo trabalhos científicos. A informação foi divulgada durante uma palestra da agência realizada nesta terça-feira (17) para debater os detalhes das futuras missões de longa duração na Lua e no Planeta Vermelho.

Embora enviar astronautas a superfície marciana ainda uma meta para daqui a alguns anos, a NASA já se prepara para este feito inédito na história da exploração espacial. Durante a palestra desta terça, o diretor de arquitetura espacial da agência, Kurt “Spuds” Vogel, forneceu alguns detalhes de tais planos.

Dois astronautas passariam 30 dias explorando a superfície de Marte (Imagem: Reprodução/Unplash/Mike Kiev)

Segundo Vogel, a agência espacial está pensando em uma espaçonave que também funcione como um habitat para transportar quatro astronautas em uma longa viagem até o Planeta Vermelho. Esta nave usaria um foguete híbrido, combinando propulsão química e elétrica.

Dois astronautas permaneceriam na órbita marciana, enquanto outros dois tripulantes seriam encarregados de pousar na superfície. Antes mesmo que eles chegassem lá, um módulo de aterrissagem de 25 toneladas, levando suprimentos, energia e sistemas de mobilidade para a missão, seria enviado ao planeta.

Além disso, a agência forneceria um veículo de ascensão para que os astronautas retornem à órbita assim que concluírem a permanência em Marte. Para passar até 30 dias na superfície marciana, os astronautas viveriam a bordo de um rover pressurizado que, além de servir como moradia, permitiria desenvolver pesquisas.

Outro ponto importante levantado por Vogel durante a palestra é que os astronautas precisarão passar um tempo no interior deste habitat para se acostumarem com as condições de Marte, como sua gravidade que corresponde a apenas um terço da encontrada na Terra.

“Então, queremos maximizar a ciência para permitir que eles circulem antes de ficarem condicionados o suficiente”, acrescentou o diretor. Só então os astronautas estariam prontos para vestir os trajes espaciais para caminhar e explorar Marte durante um mês.

Se preparando para Marte

A longo prazo, a permanência dos astronautas em Marte seria ampliada de 30 para até 500 dias. Neste último caso, considerando os poucos menos de dois anos terrestres para ir voltar do Planeta Vermelho, a missão poderia durar até 916 dias.

As futuras missões a Lua forneceram o aprendizado necessário para enviar os primeiros humanos a Marte (Imagem: Reprodução/NASA)

Claro que uma estadia de 30 dias é bem mais viável, dado o grande desafio técnico para realizar tal façanha. Todo este cenário será preparado a partir do aprendizado adquirido com o Programa Artemis que, entre outras atividades, inclui o retorno da humanidade à Lua.

No momento, a NASA trabalha nos últimos ajustes para lançar a primeira missão do programa lunar, a Artemis I, até o fim deste ano. Ela consiste no primeiro voo do foguete Space Launch System (SLS) e o segundo da espaçonave Orion, a qual realizará uma volta ao redor da Lua sem tripulação para avaliar a segurança dos sistemas.

Entre os planos mais ambiciosos do Programa Artemis, está a implantação da estação Lunar Gateway, projetada para permanecer na órbita da Lua. Ela servirá como um ponto de apoio para que os astronautas possam, então, ir para superfície lunar.

Todo aprendizado deste programa será usado para enviar os primeiros humanos a Marte. Mesmo que isto só se torne uma realidade daqui a alguns anos ou décadas, a NASA já está fazendo seu “dever de casa”.

Fonte: NASA, Via Futurism

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.