NASA descobre origem do "espaguete" em Marte

NASA descobre origem do "espaguete" em Marte

Por Rafael Rigues | 04 de Agosto de 2022 às 16h00
NASA/JPL

A NASA descobriu a origem de um curioso objeto fotografado no solo de Marte, que parece um punhado de espaguete. Segundo Justin Maki, cientista de imagens e investigador principal adjunto do Mastcam-Z no Laboratório de Propulsão a Jato da NASA, trata-se de destroços do equipamento usado durante o processo de "Entrada, Descida e Pouso" (EDL) no planeta.

Após o pouso o equipamento de EDL, incluindo a plataforma SkyCrane, que baixou o rover até a superfície, foi descartado. E parte dele se quebrou em pedaços menores quando atingiu a superfície.

"Esses pedaços de detritos do EDL foram vistos em imagens da região de Hogwallow Flats, um local a cerca de 2 km a noroeste da zona onde o EDL caiu". Alguns destes detritos são bem grandes, como parte da carenagem e paraquedas que foram encontrados pelo Perseverance em abril. Outros pedaços são pequenos e leves o suficiente para serem arrastados pelo vento por vários quilômetros.

"Até agora, vimos pedaços brilhantes de material de manta térmica, material de rede de Dacron que também é usado em mantas térmicas e um material semelhante a cordas que concluímos ser um provável pedaço de rede de Dacron triturada". Este "material semelhante a cordas" é o que ficou mundialmente conhecido como o "espaguete marciano".

Imagem do famoso "espaguete marciano", capturada pelo rover Perseverance. (Imagem: NASA/JPL)

Em um artigo no blog oficial da missão Mars 2020, Maki descreve outros pedaços do equipamento de EDL encontrados pelo Perseverance, como parte de uma manta térmica. E relembra situações similares, como a descoberta do escudo de calor do rover Opportunity, junto com uma mola, em 2004.

"Com a melhoria contínua da tecnologia das câmeras, as equipes de imagem em missões futuras poderão identificar mais prontamente os detritos de EDL nas imagens. Os engenheiros que projetam hardware EDL para futuras missões precisarão considerar o impacto (literalmente) de seus projetos em Marte e nos requisitos da missão", disse Maki. A preocupação é a possibilidade, remota, de que esse material contamine amostras de solo marciano que, no futuro, serão trazidas à Terra.

Fonte: NASA

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.