Montagem da estação espacial Gateway começará em 2023 na órbita da Lua

Por Daniele Cavalcante | 07 de Maio de 2020 às 20h45
NASA
Tudo sobre

NASA

Saiba tudo sobre NASA

Ver mais

A NASA está trabalhando no cronograma do Programa Artemis para garantir que seus astronautas pisem novamente na Lua em 2024, mesmo que os detalhes de como isso vai acontecer ainda não estejam completamente definidos. Na semana passada, a agência espacial anunciou as empresas que vão desenvolver os módulos de pouso, e agora afirma que deve começar a montar a estação orbital lunar Gateway em 2023.

Durante os próximos 10 meses, a NASA e as empresas contratadas finalizarão seus planos e, durante esse processo, decidirão coletivamente o melhor e mais rápido caminho para a Lua. Isso inclui decidir se é melhor enviar os astronautas primeiro para a Gateway e, de lá, enviá-los para a superfície lunar - ou não.

Em entrevista ao site ArsTechnica, o administrador da NASA, Jim Bridenstine, junto ao chefe de voo espacial humano, Doug Loverro, disseram que a Gateway é uma parte essencial dos planos de longo prazo da agência espacial. É que a NASA não pretende apenas levar seres humanos novamente à Lua, mas quer fazer isso de maneira sustentável, o que implica na construção de uma base espacial nos arredores do nosso satélite natural.

O projeto da Gateway e seus módulos, em configuração ainda não definitiva. Em azul estão os módulos que serão construídos por parceiros estadunidense, enquanto as partes em roxo serão fornecidas por parceiros internacionais, e os módulos em amarelo ainda aguardam definição sobre quem desenvolverá (Imagem: NASA)

De acordo com Loverro, o cronograma atual da agência diz que o lançamento do núcleo da Gateway será feito em 2023. Ele também confirmou que os dois primeiros elementos da estação lunar (o elemento de potência e propulsão construído pela Maxar e o posto de logística e habitação construído pela Northrop Grumman) serão lançados como uma unidade integrada. Isso significa que eles serão primeiro montados, juntos, aqui na Terra, para depois serem lançados em um foguete comercial.

Por lei, esse lançamento deve ser licitado competitivamente, para que diversas empresas tenham a oportunidade de serem selecionadas. Mas a NASA já estudou a unidade integrada para garantir que ela possa ser lançada à órbita lunar por pelo menos um foguete que já esteja em operação - no caso, o Falcon Heavy, da SpaceX. “Ainda não selecionamos o veículo de lançamento, mas tivemos que nos assegurar de que haveria pelo menos um veículo para ele”, disse Loverro.

Também há parceiros internacionais colaborando com a NASA na construção da Gateway, como a agência espacial europeia ESA, a russa Roscosmos e a japonesa JAXA. Cada uma ajudará com alguma tecnologia para o desenvolvimento de elementos da estação lunar, que serão entregues em algum momento da segunda metade da década de 2020.

Fonte: ArsTechnica

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.