Índia pode ter sido atingida novamente por detritos de um foguete chinês

Índia pode ter sido atingida novamente por detritos de um foguete chinês

Por Wyllian Torres | Editado por Rafael Rigues | 16 de Maio de 2022 às 18h10
The Indian Express

Na última quinta-feira (12), detritos espaciais caíram em uma área de 15 km de raio no oeste da Índia. E a julgar por sua trajetória, podem pertencer a um foguete chinês Long March 3B que reentrou na atmosfera naquela data. Os fragmentos incluem uma bola de metal de 5 kg que sacudiu o chão com o impacto — felizmente, sem deixar vítimas.

Por enquanto, nenhuma autoridade local de Gujarat, onde boa parte dos detritos caiu, ou da Organização Indiana de Pesquisa Espacial (ISRO) se pronunciou quanto à natureza destes objetos. Para Jonathan McDowell, observador espacial do Smithsonian Astrophysical Observatory, eles podem pertencer a um foguete chinês.

Segundo McDowell, o CZ-3B Y86, um foguete Long March 3B, reentrou a atmosfera terrestre no mesmo dia em que os detritos espaciais atingiram o oeste da Índia. “Nós não sabemos ao certo onde, mas sua trilha projetada cruza Gujarat na hora certa, então é um bom candidato”, acrescentou.

Além disso, apontou McDowell, nenhuma reentrada de outro objeto de grande porte foi observada naquele dia. Portanto, há uma grande chance de que estes detritos realmente pertençam ao foguete chinês, mas apenas uma investigação aprofundada poderá confirmar a origem.

Se ela for confirmada, será a segunda vez que peças de um foguete chinês caem sobre a Índia neste ano. Em 12 de abril, detritos espaciais caíram em duas aldeias a oeste do país. Para a ISRO, eles pertenceriam ao terceiro estágio de um Long March 3B, lançado em fevereiro do ano passado.

No entanto, a China não se pronunciou sobre o incidente. Também não seria a primeira vez que partes de um foguete chinês fazem uma reentrada perigosa na atmosfera. Em maio do ano passado, sobras do estágio central de um foguete Long March 5B caíram no Oceano Pacífico.

Na ocasião, a NASA criticou a China por “não cumprir os padrões responsáveis ​​em relação aos seus detritos espaciais”, e com razão. Em 2020, destroços de um foguete chinês deste mesmo modelo atingiram pelo menos duas aldeias na Costa do Marfim, destruindo uma casa, mas sem registro de mortos ou feridos.

Fonte: Via SpaceNews

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.