Governo de Porto Rico quer reconstruir o Observatório de Arecibo

Por Patrícia Gnipper | 04 de Janeiro de 2021 às 13h50
Ricardo Arduengo/AFP via Getty Images

Nos últimos dias de 2020, a governadora de Porto Rico, Wanda Vázquez Garced, assinou uma ordem executiva declarando que seu governo apoia a reconstrução do Observatório de Arecibo, que acabou desabando no dia 1º de dezembro após o rompimento de dois cabos de sustentação, o que aconteceu em agosto e em novembro. Contudo, uma decisão final ainda pode levar anos para acontecer — até porque a ordem foi assinada nos últimos dias de seu mandato, que acabou no dia 1º de janeiro.

No documento, há a afirmação de que o governo de Porto Rico encara a reconstrução como uma "questão de política pública", atestando sua convicção "pela reconstrução do observatório e a pronta retomada da ciência". A ordem também diz que o governo porto-riquenho prevê a construção de um observatório com abertura ainda maior do que a do anterior, com um campo de visão mais amplo, também, além de um transmissor mais poderoso do que o antigo. Para isso, o governo gostaria de atribuir e alocar "US$ 8 milhões para iniciar o trabalho de reconstrução".

Esse valor, no entanto, seria uma pequena entrada para o custo total de reconstruir um observatório daquele porte, sendo que a comunidade astronômica projeta que esse custo total precisaria ser de várias centenas de milhões de dólares. Vale ressaltar que a National Science Foundation (NSF), que administra o observatório, ainda não se comprometeu a reconstruir o Arecibo. Por enquanto, a agência está focando seus esforços em avaliar os danos do colapso, bem como no trabalho de limpeza do local, garantindo a segurança dos trabalhadores envolvidos.

"A NSF tem um processo muito bem definido para financiamento e construção de infraestrutura em grande escala, incluindo telescópios. É um processo plurianual que envolve apropriações do Congresso e avaliação e necessidades da comunidade científica. Portanto, é muito cedo para comentarmos sobre a substituição", disse Ralph Gaume, diretor da Divisão de Ciências Astronômicas da NSF. Para o ano fiscal de 2021, o Congresso do país não reservou verbas para uma reconstrução.

Fonte: Space News

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.