Coreia do Sul assina acordo com a NASA para participar do programa Artemis

Coreia do Sul assina acordo com a NASA para participar do programa Artemis

Por Wyllian Torres | Editado por Patrícia Gnipper | 28 de Maio de 2021 às 16h10
Reprodução/NASA/Twitter

Como parte do Programa Artemis, a NASA anunciou, em outubro do ano passado, os chamados Artemis Accords (“Acordos Artemis”, em tradução literal), pelos quais outros países poderiam se comprometer a participar da nova era da exploração lunar protagonizada pelos norte-americanos. Além dos EUA, mais oito nações já assinaram o acordo e, agora, a Coreia do Sul se junta a essa iniciativa que tem como principal objetivo estabelecer a presença humana de forma sustentável na Lua — até o final desta década.

O acordo foi aderido durante uma cerimônia oficial no último dia 24 de maio, pela assinatura da ministra de Ciência e Tecnologia sul-coreana, Lim Hyesook. Com isso, a Coreia do Sul se tornou o décimo país a assinar o acordo, que estabelece uma série de práticas e princípios que buscam orientar a cooperação de países para a exploração espacial. Entre os países que já participam do acordo, estão Austrália, Canadá, Itália, Japão, Luxemburgo, Reino Unido, Emirados Árabes Unidos, Ucrânia e, é claro, os Estados Unidos. A Coreia do Sul é a primeira nação a fechar o acordo durante o governo do presidente Biden.

Lim Hyesook, minsitra de Ciência e Tecnologia da Coreia do Sul, assinando o acordo com o Programa Artemis (Imagem: Reprodução/ROK Minister of Science and ICT)

Conforme explicou a ministra Hyesook durante a cerimônia, com a assinatura dos Artemis Accords, a Coreia do Sul será capaz de fortalecer a cooperação com as nações participantes da exploração do espaço sideral. “Para uma exploração espacial bem-sucedida, é fundamental implementar atividades de desenvolvimento espacial de forma transparente e responsável, colaborando com a comunidade internacional”, acrescentou.

Ao longo dos últimos anos, o interesse da Coreia do Sul pela Lua cresceu bastante. O presidente sul-coreano Moon Jae-in disse, em março deste ano, que a nação pretende enviar sue próprio módulo de pouso lunar até 2030. Para isso, o país usará um foguete desenvolvido inteiramente por ele. "Vamos promover ativamente projetos desafiadores de exploração espacial que se baseiam na base alcançada pelo desenvolvimento de um veículo de lançamento -sulcoreano", disse Moon.

Plano orbital para o Sul Pathfinder Lunar Orbiter, da Coreia do Sul, previsto para ser lançado no próximo ano (Imagem: Reprodução/KARI)

No momento não existem mais detalhes sobre o pouso lunar da Coreia do Sul; no entanto, o país vem trabalhando em seu foguete de três estágios, conhecido como Korea Space Launch Vehicle, com seu primeiro voo previsto para outubro deste ano. Enquanto isso, o Instituto de Pesquisa Aeroespacial da Coreia (KARI) desenvolve seu orbitador lunar Korea Pathfinder Lunar Orbiter como parte do programa de exploração lunar do país, que será lançado em agosto de 2022 por um Falcon 9, o foguete reutilizável da SpaceX.

A expectativa é que outros países passem a aderir aos Artemis Accords enquanto a NASA continua desenvolvendo suas iniciativas em parcerias com as nações que já assinaram os acordos. O Brasil, por sinal, assinou um acordo de intenção de participar do Programa Artemis, em janeiro deste ano, com o objetivo de desenvolver pequenos equipamentos robóticos para as missões.

Fonte: Space.com, NASA

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.