Publicidade

China pensa em explorar Vênus nos próximos anos

Por| Editado por Patricia Gnipper | 25 de Março de 2022 às 12h16

Link copiado!

NASA/JPL-Caltech
NASA/JPL-Caltech

O planeta Vênus poder ser adicionado aos planos de exploração planetária da China, segundo o chefe do programa chinês de exploração espacial, Wu Weiren. Esta seria mais uma missão para ampliar o alcance do país no espaço, incluindo também missões de retorno de amostras do planeta Marte.

Em 2020, a China lançou a missão Tianwen-1 ao planeta Marte — a primeira missão interplanetária do país. Ela é composta por um orbitador de mesmo nome e o rover Zhurong, que, juntos, têm realizado um importante trabalho de pesquisa e investigação do Planeta Vermelho.

Continua após a publicidade

Mas a China não para por aqui, pois ela pretende lançar as missões Tianwen 2, 3 e 4 para dar continuidade ao trabalho já desenvolvido em Marte, ressaltou Weiren em entrevista a uma mídia estatal do país no início desse mês.

Novas missões espaciais da China

Recentemente, a China compartilhou seus planos de lançar missões para coletar amostras de um asteroide e de um cometa, além de retornar com amostras de Marte e enviar uma sonda para explorar o sistema de Júpiter. Agora, possivelmente incluindo Vênus nesses planos.

Weiren não forneceu maiores detalhes de como seria uma missão a Vênus, mas os cientistas do país já haviam apresentado o conceito de uma no início dessa década. Essa missão teria se concentrado em analisar a atmosfera venusiana, sua ionosfera, magnetosfera e sua superfície.

Continua após a publicidade

Vênus voltou a receber atenção da ciência planetária quando, em 2020, foi anunciada uma suposta descoberta de fosfina em sua atmosfera — um composto que, aqui na Terra, pode ser associado à presença de vida. Não é a toa que 2030 foi eleita como a década dedicada a explorar o planeta vizinho.

Por enquanto, existem três missões confirmadas para serem lançadas a Vênus pelos próximos anos: VERITAS e DAVINCI, da NASA; e a missão EnVision, a Agência Espacial Europeia (ESA).

Fonte: Via Space.com