Astronautas chineses retornam à Terra após 90 dias de missão no espaço

Astronautas chineses retornam à Terra após 90 dias de missão no espaço

Por Danielle Cassita | Editado por Patrícia Gnipper | 16 de Setembro de 2021 às 10h25
CCTV

Após uma estadia de 90 dias a bordo do módulo Tianhe, da nova estação espacial da China, os taikonautas Nie Haisheng, Liu Boming e Tang Hongbo acabam de deixar as instalações para retornar à Terra. Eles embarcaram na nave Shenzhou-12 durante a manhã desta quinta-feira (16) e deverão pousar no interior da Mongólia após 30 horas de viagem.

A emissora estatal CCTV exibiu imagens da tripulação levando bagagens para a nave e, antes de se separarem do módulo, eles fizeram download dos dados obtidos com os experimentos em órbita. Depois, a nave viajou em torno do módulo Tianhe e realizou um teste de manobra em que, ao invés de se acoplar novamente, testou sensores e sistemas de guia para medir a precisão e determinar variáveis, como as diferentes condições de iluminação ao se aproximar do módulo por baixo dele em relação à Terra, ao invés de seguir no caminho de voo.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

Eles deverão pousar na Terra nesta sexta-feira (17) em algum local do deserto de Gobi, próximo do Centro de Lançamento de Satélites de Jiuquan, local de onde as missões espaciais tripuladas chinesas são lançadas.

O módulo Tianhe, o primeiro dos três que irão formar a estação Tiangong-3, foi lançado em abril. O trio de taikonautas chegou ao Tianhe em junho e, durante os 90 dias de missão, realizaram experimentos científicos, verificações de tecnologia, caminhadas espaciais e outras atividades. Esta foi a missão espacial tripulada mais longa já realizada pela China até o momento.

O que vem a seguir

Enquanto a tripulação da Shenzhou-12 volta para casa, a China está se preparando para lançar a missão Tianzhou-3, a segunda que levará cargas para a estação. A data do lançamento ainda não foi confirmada, mas as restrições de tráfego locais parecem indicar que a missão deverá ser lançada no dia 20 de setembro, levando suprimentos, equipamentos e propelente para o módulo Tianhe.

O foguete Long March 7 sendo transferido à plataforma para lançar a Tianzhou-3 (Imagem: Reprodução/CMSA)

A Tianzhou-3 será a quarta missão de um total de 11 realizadas para a construção da estação Tiangong-3, que deverá receber os novos módulos Wengtian e Mengtian em 2022. Esses componentes irão permitir a realização de experimentos científicos em áreas como ciência, biotecnologia, física, microgravidade, entre outros. Assim, a ideia é que a missão Tianzhou-3 deixe as instalações abastecidas para a tripulação da Shenzhou-13, a próxima missão tripulada do país asiático.

Os oficiais do programa espacial da China ainda não divulgaram muitos detalhes, mas o esperado é que novos trios de astronautas sejam enviados em missões de 90 dias na estação ao longo dos próximos dois anos, até torná-la completamente operacional. Embora ainda não haja informações sobre quem serão os taikonautas da nova missão, ela também deverá contar com três tripulantes, que, diferentemente dos da Shenzhou-12, devem passar seis meses na estação. O próximo lançamento tripulado deve acontecer em outubro.

Fonte: Phys.org, Space.com, SpaceNews

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.