Após 90 dias, rover Zhurong completa patrulha e envia novas fotos de Marte

Após 90 dias, rover Zhurong completa patrulha e envia novas fotos de Marte

Por Danielle Cassita | Editado por Patrícia Gnipper | 17 de Agosto de 2021 às 17h05
CNSA

Em maio, a China fez história com o pouso do rover Zhurong, parte da missão Tianwen-1, em Marte. O veículo desceu em segurança protegido pelo módulo de pouso na região de Utopia Planitia, a maior bacia de impacto do planeta e, desde então, segue explorando o local. Até aqui, tudo parece correr bem: em uma nova atualização, a Administração Espacial Nacional da China (CNSA) comunicou que o Zhurong completou sua patrulha inicialmente planejada nesta segunda-feira (15), revelando também novas fotos do terreno marciano.

Durante essa rodada de exploração, o rover passou cerca de 90 dias marcianos (ou, se preferir, cerca de 92 dias terrestres) se deslocando pelo planeta vizinho, percorrendo uma distância total de 889 m. Durante esse período inicial, o rover coletou cerca de 10 GB de dados brutos e, por enquanto, segue em boas condições de funcionamento.

O trajeto percorrido pelo rover (Imagem: Reprodução/Zhurong)

De acordo com a CNSA, o Zhurong consegue se deslocar com estabilidade e ainda tem energia suficiente para avançar em sua exploração em Utopia Planitia. Ainda não está claro quais são, exatamente, todos os objetivos científicos da missão, mas já sabemos que o rover conta com seis instrumentos e duas câmeras, que serão usados para buscar gelo de água sob a superfície marciana e para estudar a composição de rochas no Planeta Vermelho.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

(Imagem: Reprodução/CNSA)

A CNSA decidiu pousar o Zhurong em Utopia Planitia porque os cientistas determinaram que o solo daquela região tinha as condições ideais para o pouso, e tal área pode também ter abrigado um oceano no passado — por isso, é um local de grande interesse científico. Como não foi projetado para voltar para casa, o rover deverá seguir operando por mais algum tempo até chegar ao fim de sua vida útil, "morrendo" na superfície de Marte — tal qual aconteceu com rovers já desativados pela NASA, como o Opportunity, por exemplo.

Fonte: IT Home

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.