Agência Espacial Europeia comemora 20 anos de presença na ISS

Por Danielle Cassita | Editado por Patrícia Gnipper | 20 de Abril de 2021 às 16h50
cookelma/Envato

Em 19 de abril de 2001, o astronauta italiano Umberto Guidoni voou junto de outros astronautas a bordo do ônibus espacial Endeavour, com destino à Estação Espacial Internacional (ISS). Agora, 20 anos depois desta que foi a primeira missão da Agência Espacial Europeia (ESA) rumo à ISS, diversos astronautas europeus já trabalharam em missões no laboratório, e outros dois vão se juntar a esta lista ainda neste ano.

O primeiro módulo da ISS foi lançado em 1998, mas foi somente dois anos depois que a Expedição-1 foi lançada, levando o astronauta William Shepherd e os cosmonautas Yuri Gidzenko e Sergei Krikalev para o laboratório orbital. A missão de Guidoni, realizada em 2001, teve objetivos como auxiliar a instalação do braço robótico canadense na estação, além de transferir equipamentos científicos e experimentos.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

Mais módulos foram adicionados ao longo do tempo e, hoje, a ISS já chega a mais de 100 m de extensão, com áreas para os astronautas conviverem, se exercitarem, descansarem e, claro, aproveitarem a vista privilegiada. Desde sua inauguração, a estação foi constantemente ocupada por tripulações e, no ano passado, o laboratório somou 20 anos de presença humana contínua por lá. Até então, a ESA já lançou mais de 26 missões para a ISS, com três astronautas europeus servindo como comandantes.

Um deles foi Frank De Winne, que, em 2009, tornou-se o primeiro comandante europeu da ISS. Durante sua missão, Frank operou o braço robótico da estação para acoplar o primeiro veículo cargueiro do Japão, e foi também o principal operador do braço robótico japonês da ISS, usado para transferir experimentos para as instalações externas de cargas úteis do Laboratório Kibo, também do país.

Ao longo das atividades científicas realizadas, a estação já abrigou mais de 3 mil experimentos, e segue proporcionando informações essenciais sobre os efeitos da estadia de longo prazo no espaço, que serão essenciais para as futuras missões na Lua e em Marte. Como os tripulantes passam longos períodos a bordo, os cientistas conseguem entender melhor como os humanos se adaptam fisicamente à microgravidade, além dos efeitos psicológicos causados ao ficar tanto tempo longe de casa.

Agora, mais dois astronautas europeus serão enviados para lá ainda neste ano. O primeiro será o francês Thomas Pesquet, que compõe a tripulação da missão Crew-2, composta também por Megan McArthur e Shane Kimbrough, da NASA, e Akihiko Hoshide, da agência espacial japonesa JAXA. O lançamento da missão está programado para a próxima quinta-feira (22) e será realizado com um foguete Falcon 9, da SpaceX. Já o alemão Matthias Maurer faz parte da tripulação da Crew-3 junto de Raja Chari e Tom Marshburn, astronautas da NASA — haverá um quarto tripulante, mas ele ainda não foi anunciado.

Fonte: ESA (1, 2)

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.