2ª missão privada da Axiom Space na ISS será comandada por astronauta veterana

2ª missão privada da Axiom Space na ISS será comandada por astronauta veterana

Por Danielle Cassita | Editado por Patrícia Gnipper | 25 de Maio de 2021 às 17h10
NASA

A Axiom Space e a NASA fecharam um acordo para realizar a missão Axiom Mission 1 (Ax-1), que será lançada antes de janeiro de 2022 com destino à Estação Espacial Internacional (ISS). Além desta, a empresa já tem planos para seu segundo voo espacial tripulado: um anúncio feito nesta terça-feira (25) revelou que Peggy Whitson, astronauta veterana e uma das mais experientes da NASA, será a comandante da missão Ax-2, e irá servir junto de John Shoffner, que será o piloto. Os demais tripulantes ainda não foram confirmados.

A missão Ax-1 irá levar quatro tripulantes para o laboratório orbital a bordo da nave Crew Dragon, da SpaceX, para oito dias de trabalho em pesquisas científicas, e a Ax-2 deverá ser semelhante. Desde então, Whitson e Shoffner vêm treinando como reservas para a Ax-1.

Mais sobre a comandante da missão

Whitson, de 61 anos, teve uma carreira de 22 anos na NASA e se tornou a primeira comandante mulher da ISS, a primeira oficial de ciências no laboratório e segue como a norte-americana recordista da estadia mais longa no espaço, com 665 dias passados fora da Terra ao longo de três missões.

Ela se aposentou da carreira de astronauta em 2018 e não pensou que voltaria ao espaço: “não achei que seria provável e, provavelmente por isso, fiquei mais animada em ser designada como reserva para a Ax-1 e comandante da Ax-2, ainda mais animada do que estive para meu primeiro voo espacial", disse em entrevista.

Durante a estadia na ISS, Whitson e Shoffner irão realizar pesquisas para a 10x Genomics, uma empresa de biotecnologia que trabalha com tecnologias de sequenciamento de genes para pesquisadores — Shoffner é investidor da empresa e deverá testar métodos de sequenciamento em microgravidade. Agora, ambos vão treinar no programa padrão de astronautas da empresa para se preparem para a missão.

Mais sobre o piloto da missão

Shoffner, com 65 anos, é um piloto treinado e conta que queria ser astronauta e ir para o espaço desde quando tinha 8 anos. Contudo, depois que alcançou certa idade, deixou estes planos de lado para focar em outras atividades. Isso mudou com a nova chance que surgiu com a missão: “hoje, a comercialização do espaço está realmente aqui, e no momento em que esta oportunidade com a Axiom se abriu, fui ao telefone o mais rápido possível”, disse.

Para a Axiom levar seus astronautas à ISS com a nave Crew Dragon, da SpaceX, o valor para cada passageiro fica em torno de US$ 55 milhões por missão (Imagem: Reprodução/SpaceX)

Ele já tem experiência como piloto de aviões e carros de corrida e, embora saiba que comandar uma aeronave e uma espaçonave são coisas completamente diferentes, Shoffner acredita que conseguiu algumas habilidades no ar que irão ajudar quando estiver no espaço: “nos aviões, você está sempre observando, procurando coisas, sentindo o movimento e lidando com muitos dados”, explica. “A cápsula Crew Dragon tem muita automação, então não será preciso fazer muitos comandos de manche e leme, mas ainda assim vai ser incrível controlar uma espaçonave”, diz.

Sobre a Axiom Space e suas missões tripuladas

A Axiom Space atua com o gerenciamento de missões com espaçonaves de outras empresas para levar pessoas ao espaço. A empresa estima que missões privadas sejam lançadas a cada seis meses e, se considerarmos este cronograma, é possível que a Ax-2 seja lançada na metade de 2022 — mas esta é apenas uma estimativa, já que a data exata vai depender de como estará o tráfego na ISS. A estação tem somente dois adaptadores internacionais para receber espaçonaves, sendo que eles podem ser usados tanto por naves cargueiras quanto tripuladas.

Por isso, a Axiom terá que encontrar um cantinho na agenda apertada do laboratório. A empresa segue construindo seus módulos espaciais privados próprios, que poderão ser anexados à ISS em 2024. Para Whitson, esta missão poderá abrir portas para empreitadas ainda mais ambiciosas: “o futuro dos voos espaciais depende de construirmos uma infraestrutura que nos permita ir cada vez mais longe da Terra”, disse. “Este passo da Axiom, de introduzir astronautas privados à ISS, será apenas o passo inicial”.

Fonte: The Verge, SuperCluster

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.