Conheça a tripulação da primeira missão totalmente privada na ISS

Por Danielle Cassita | 26 de Janeiro de 2021 às 16h45
Reprodução/Axiom Space

Nesta terça-feira (26), a Axiom Space enfim revelou quem serão os clientes que vão compor a tripulação da primeira missão espacial totalmente privada, ou seja, sem o apoio de agências espaciais estatais. Michael López-Alegría, vice-presidente da empresa; o empreendedor Larry Connor; o investidor Mark Pathy e, por fim, o filantropo israelense Eytan Stibbe fazem parte do time. A tripulação viajará a bordo de uma nave Dragon lançada por um foguete Falcon 9, ambos da SpaceX, com destino à Estação Espacial Internacional (ISS) para uma estadia de oito dias.

Para a empreitada, três deles vão desembolsar a soma de U$ 55 milhões — cada um — para voar com a SpaceX e chegar ao laboratório orbital após um ou dois dias de viagem: "eles estão muito envolvidos, e estão fazendo isso para melhorar suas comunidades e países, então não poderíamos estar mais felizes com a composição da primeira tripulação", disse Mike Suffredini, diretor executivo e presidente da Axiom.

Em comunicado, López-Alegría comentou que esse grupo de pioneiros da primeira tripulação espacial do tipo representa um momento divisor de águas na busca eterna da humanidade pela exploração e progresso: “tanto quanto qualquer astronauta que veio antes deles, os membros dessa tripulação alcançaram tipos de coisas na vida que os torna aptos para aceitar essa responsabilidade e criarem um verdadeiro impacto global”, disse. Ele se aposentou da NASA em 2012, hoje atuando como vice-presidente da Axiom Space, e será o comandante da missão.

Já Larry Connor, diretor do The Connor Group e fundador de duas empresas de tecnologia financeira, leva em seu histórico uma experiência de voo com mais de 16 aeronaves diferentes. Ele será o piloto e primeiro astronauta privado nesta função em uma missão do espaço orbital — mas, como a cápsula Dragon foi projetada para voar de maneira autônoma, a ação humana só entra em ação caso ocorra alguma emergência ou imprevisto. Com 71 anos, ele será a segunda pessoa mais velha a ir para o espaço, seguido de John Glenn, ex-astronauta da NASA que fez seu segundo voo aos 77 anos.

Mark Pathy é CEO e diretor da Mavrik, empresa de investimentos e finanças, e do Stingray Group, destinado ao setor de música, mídia e tecnologia, ambas companhias localizadas em Montreal, no Canadá. Pathy também atua no conselho da Pathy Family Foundation, além de ser membro conselheiro e executivo das instituições Montreal Children's Hospital Foundation e Dans la Rue; com 50 anos, ele se tornará o 11º canadense a ir para o espaço, e será um dos especialistas da missão.

Por fim, Stibbe é fundador da Vital Capital Fund, uma iniciativa focada em negócios e financiamento com atuação principalmente na África. O israelense de 63 anos, que também vai ser especialista da missão, será a terceira pessoa mais velha a ir para o espaço e o segundo do país — o primeiro foi Ilan Ramon, astronauta que estava na tripulação do ônibus espacial Columbia. A integração dele na tripulação foi anunciada no ano passado por Reuven Rivlin, presidente de Israel: “Stibbe vai voar com a bandeira azul e branca em seu uniforme para nos lembrar que o céu não é mais o limite”, disse.

Como será a missão Ax-1 

A missão com astronautas privados rumo à ISS será lançada por um foguete Falcon 9 numa nave Crew Dragon, ambos da SpaceX (Imagem: Reprodução/SpaceX)

A Ax-1 será a primeira missão tripulada totalmente privada na órbita da Terra; de 2001 a 2009, sete astronautas privados voaram em missões financiadas por eles mesmos com destino à ISS nas naves Soyuz, da Rússia. Já empresas como a Virgin Galactic, de Richard Branson, e Blue Origin, de Jeff Bezos, planejam oferecer serviços para levar seus clientes para experiências no espaço em voos breves e mais acessíveis, onde os ingressos custariam centenas de milhares de dólares em vez de milhões.

A Axiom Space ficará encarregada de treinar a tripulação durante quinze semanas e realizar demais operações para a missão, que é a primeira de uma série de voos privados destinados ao laboratório orbital — um deles provavelmente irá contar com o ator Tom Cruise e o diretor Doug Liman para a gravação de um filme no espaço. Durante a missão, a tripulação da Ax-1 deverá passar oito dias a bordo do segmento norte-americano da ISS para trabalhar em pesquisas e projetos filantrópicos.

Connor, que tem experiência em liderar organizações, vai atuar com a Mayo Clinic e Clevelend Clinic em projetos de pesquisa, e também pretende realizar aulas instrucionais para alunos de uma escola em sua cidade natal. Já Pathy estará colaborando com a agência espacial canadense e com o Montreal Children’s Hospital, que está auxiliando na identificação projetos de pesquisa na área da saúde que possam ser desenvolvidos durante a missão.

Stibbe tem planos para realizar experimentos científicos de pesquisadores israelense e empreendedores coordenados por instituições locais e pela agência espacial do país, além de realizar atividades educativas na órbita para inspirar crianças, jovens e educadores de Israel.

Apesar de ainda não haver uma data confirmada, o lançamento da missão deverá ocorrer a partir de janeiro de 2022. Futuramente, a empresa planeja oferecer voos de astronautas privados e estatais para a ISS em uma taxa de um a dois por ano, dependendo das oportunidades de voo disponibilizadas pela NASA.

Fonte: Phys.org, Space.com, Axiom Space

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.