Spotify lança Sofia, uma "radionovela 4.0" com 7 capítulos gratuitos

Por Felipe Junqueira | 07 de Julho de 2020 às 16h37
Divulgação/Spotify
Tudo sobre

Spotify

Saiba tudo sobre Spotify

Ver mais

As radionovelas estão de volta. O Spotify anunciou, nesta terça-feira (7), sua primeira produção nacional, Sofia, uma audiossérie que será lançada em quatro dos principais mercados da plataforma de streaming. No Brasil, será estrelada por Cris Vianna e Monica Iozzi.

Baseada na produção Sandra, da empresa Gimlet, adquirida pelo Spotify no ano passado, Sofia traz a história de Helena (Iozzi), que consegue um emprego como operadora de Sofia (Vianna), IA que é febre do momento. Porém, quem faz perguntas à assistente virtual não sabem que, na realidade, envia a demanda a milhares de operadores humanos da inteligência artificial. Ou seja, têm suas vidas, ou ao menos uma parte delas, exposta a pessoas reais, que apenas direcionam as demandas de Sofia.

Também participam com suas vozes Otaviano Costa, Hugo Bonemer e um grande elenco, incluindo algumas vozes conhecidas de quem se acostumou a assistir a filmes dublados.

Radionovelas 4.0

O projeto lembra muito as antigas radionovelas — que, apesar de terem perdido força, nunca deixaram realmente de existir. O Spotify optou por chamar de audiossérie, e de fato são poucos capítulos, todos com duração relativamente curta, de 15 a 20 minutos cada.

O formato deixa boa parte, como cenário, aparência e até gesticulações dos personagens para a imaginação do ouvinte — só ouvimos as falas e alguns sons do ambiente. Podemos dizer que é uma espécie de radionovela 4.0, com produção e distribuição quase 100% via internet.

Diretor do Spotify Studios na América Latina, Javier Piñol explicou que este é o primeiro podcast produzido em escala mundial pela empresa. Além do Brasil, a série é lançada em adaptações da audiossérie Sandra na Alemanha, França e México. Isso levou a alguns desafios, conta o executivo.

“Por exemplo, quando você pensa em gírias, é muito difícil transmitir isso na personagem, a menos que você já produza o projeto adaptando-a para a cultura local. E foi exatamente o que fizemos para contar com produção e talentos locais. E o resultado não poderia ser melhor”, explicou.

Sobre a escolha de chamar uma atriz real para interpretar a IA, em vez de utilizar uma já pronta, como Alexa, que lê textos e poderia ser utilizada no projeto, ou mesmo criar uma inteligência artificial para a audiossérie, Piñol filosofou. “Vamos ter a Cris Viana e não vamos ter Alexa”, comentou ao se referir à necessidade de ter uma naturalidade que as IAs de hoje ainda não conseguem passar.

Voz de Sofia, Cris Vianna também explicou a dificuldade do papel. “Tive que ir ao meu extremo para chegar ao natural da Sofia”, revelou, exemplificando que não podia falar de dor como nós falamos em dor naturalmente, mas sim com muito mais objetividade.

A produção já está disponível em sete episódios que você pode ouvir gratuitamente no Spotify — não é necessário ter uma conta premium para acessar o conteúdo, o que vale para todos os podcasts da plataforma atualmente.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.